Formação Inicial de Professores Articulada pelo Viés da Reconstrução Curricular na Modalidade de Situação de Estudo

  • Marli Dallagnol Frison
  • Lenir Zanon Basso
  • Maria Ghisolfi da Silva Rejane
Publicado
2017-10-13
Neste texto socializamos princípios e práticas formativas desenvolvidas em programas de formação de professores da Unijuí, pelo viés da reconstrução Curricular na modalidade de Situação de Estudo (SE). Inicialmente, nosso olhar focaliza ações desenvolvidas no contexto de um curso de licenciatura em Química nos espaços e tempos instituídos pela trajetória das disciplinas de Estágio Curricular Supervisionado e, posteriormente, com ampliação para os demais cursos da universidade. À luz da perspectiva histórico-cultural buscamos compreender o processo de constituição profissional do professor e os conhecimentos exigidos no exercício da docência. Resultados mostram que a inserção do professor em processo de reconstrução curricular, na linha da SE, aliada à interação com professores mais experientes, qualifica o processo de formação acadêmico-profissional.
Palabras clave: Desenvolvimento profissional, trabalho educativo, constituição humana (es)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Frison, M. D., Zanon Basso, L., & da Silva Rejane, M. G. (2017). Formação Inicial de Professores Articulada pelo Viés da Reconstrução Curricular na Modalidade de Situação de Estudo. Tecné Episteme Y Didaxis: TED. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/4755

Duarte, N. (2011). Vigotski e o “Aprender a Aprender”: críticas às apropriações

neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores

Associados.

Frison, M. D. (2012). A produção de saberes docentes articulada à formação

inicial de professores de Química: implicações teórico-práticas na escola de

nível médio. Tese (Doutorado)– UFRGS, Brasil.

Maldaner, O. A. (2007). Situações de estudo no Ensino Médio: nova compreensão

de educação básica. In: Nardi, R. (Org.). A pesquisa em ensino de Ciências

no Brasil: alguns recortes. São Paulo: Escrituras Editora.

Martins, L. M. (2010). O legado do século XX para a formação de professores. In:

Duarte, N. e Martins, L. M. (orgs). Formação de professores: limites

contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Stenhouse, L. (1993) La investigación como base de la enseñanza. Tradução

Guillermo Solana. 2. ed. Madrid: Morata.

Vigotski, L. S. (2010). A construção do pensamento e da linguagem. Tradução

Paulo Bezerra, 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes.

Zanon, L. B. (2003). Interações de licenciandos, formadores e professores na

elaboração conceitual de prática docente: módulos triádicos na licenciatura

de Química. 2003. Tese (Doutorado) – Unimep, Piracicaba, SP.

Zanon, L. B.; Maldaner, O. A. (2010). A Química escolar na inter-relação com

outros campos de saber. In: Maldaner, O. A. (Org.). Ensino de Química em

foco. Ijuí: Ed. Unijuí. p. 101-130.

Artículos más leídos del mismo autor/a