Os professores e suas concepções de escola sustentável: Implicações para a prática pedagógica

  • Patrícia Mariana Costa
  • Bruna Ricci
  • Maria José Fontana Gebara
Publicado
2017-10-13
Este trabalho teve como objetivo investigar as concepções de “Escola Sustentável” de 80 professores da educação básica de uma rede de ensino brasileira, durante uma formação continuada em Educação Ambiental (EA). Por meio das respostas à questão: “Para você, o que é uma escola sustentável?” e tendo como referencial teórico as macrotendências político-pedagógicas da EA brasileira, utilizou-se como categorias de análise as vertentes conservacionista, pragmática e crítica. Através da análise de conteúdo, os resultados revelaram que a maioria dos docentes possui concepções conservacionistas e pragmáticas de EA, o que pode indicar propostas pedagógicas mais tradicionais e menos inovadoras. Faz-se necessário expandir discussões conceituais sobre temas relevantes em EA, de modo que práticas críticas e participativas sejam inseridas no cotidiano escolar.
Palabras clave: educação ambiental, formação docente, escola sustentável (es)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Costa, P. M., Ricci, B., & Fontana Gebara, M. J. (2017). Os professores e suas concepções de escola sustentável: Implicações para a prática pedagógica. Tecné Episteme Y Didaxis: TED. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/4479

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brasil. Ministério da Educação. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília,

Brasil.

Layrargues, P. P. (2004). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília:

MMA, Brasil.

Layrargues, P. P., & Lima, G. F. C. (2014). As macrotendências políticopedagógicas

da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade,

(1), 23-40.

Veiga, A., Amorim, E., Blanco, M. (2005). Um retrato da presença da educação

ambiental no ensino fundamental brasileiro. Brasília: INEP, Brasil.