Inclusión y diferenciación pedagógica: concepciones y prácticas. Dos estudios cualitativos en la realidad del sistema educativo portugués

Inclusion and Differentiated Pedagogy: Two Qualitative Studies in the Portuguese Educational System

Inclusão e diferenciação pedagógica: Dois estudos qualitativos no sistema educativo português

Publicado
2019-09-17

Este artículo ha sido elaborado a partir de dos estudios empíricos realizados en el sistema educativo portugués durante el año escolar 2017-2018. El objetivo es comprender y discutir las concepciones y percepciones de los docentes acerca de la inclusión. Para ello, se desarrollaron dos estudios, uno en la educación preescolar y otro en el primer ciclo de la enseñanza básica. Se utilizó una metodología cualitativa basada en una recogida de datos a partir de guiones de entrevista semiestructurada. Fueron entrevistados 9 educadores de infancia y 14 profesores del primer ciclo. Los datos muestran que los participantes tienen concepciones apropiadas acerca de la inclusión, pero también revelan dificultades para implementar en sus rutinas pedagógicas, metodologías y estrategias que valoren la inclusión y la pedagogía diferenciada.

Palabras clave: inclusion, special education, differentiated pedagogy, teacher training, qualitative research (en)
Palabras clave: Inclusión, educación especial, diferenciación pedagógica, formación de profesores, investigación cualitativa (es)
Palabras clave: nclusão, educação especial, diferenciação pedagógica, formação de professores, investigação qualitativa (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Marco Paulo Maia Ferreira, Instituto Superior de Educação e Ciências,Portugal

Professor coordenador. Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC Lisboa). Lisboa, Portugal.. Doutor em Psicologia. 

Correo electrónico: marco.ferreira@iseclisboa.pt

Cláudia Sofia da Veiga Gonçalves, Instituto Superior de Educação e Ciências

Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC Lisboa). Lisboa, Portugal. Mestre em Educação Pré-escolar. Correo electrónico: claudia.sofia.17@hotmail.com

Cláudia Beatriz Cruz da Silva, Instituto Superior de Educação e Ciências

Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC Lisboa). Lisboa, Portugal. Mestre em Educação Pré-escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico. Correo electrónico: claudia_bia88@hotmail.com

Gustau Olcina-Sempere, Universidad Jaume I-Castellón de la Plana

Profesor Ayudante Doctor Tipus II Universidad Jaume I (UJI). Castellón de la Plana – España. Doctor en Educación. Correo electrónico: golcina@uji.es

Maia Ferreira, M. P., da Veiga Gonçalves, C. S., Cruz da Silva, C. B., & Olcina-Sempere, G. (2019). Inclusión y diferenciación pedagógica: concepciones y prácticas. Dos estudios cualitativos en la realidad del sistema educativo portugués. Revista Colombiana De Educación, 1(78). https://doi.org/10.17227/rce.num78-9922

Afonso, N. (2005). Investigação Naturalista em Educação. Um guia prático e crítico. Coleção em foco. Porto: Edições asa.

Ainscow, M. (1996). Necessidades Educativas Especiais na Sala de Aula. Um Guia para a Formação de Professores. Instituto de Inovação e Educação. Unesco.

Ainscow, M. (2000). The next step for Special Education: Supporting the development of inclusive practices. British Journal of Special Education, 27(2), 76-80.

Boer, De A., Pijl, J.S. y Minnaert, A. (2011). Regular primary school teachers’ attitudes towards inclusive education: a review of the literature. International Journal of Inclusive Education, 15(3), 331-353.

Brandão, T.M., y Ferreira, M. (2013). Inclusão de Crianças com Necessidades Educativas Especiais na Educação Infantil. Revista Brasileira de Educação Especial, 19(4), 487-502.

Correia, L.M. (1993). O psicólogo escolar e a educação especial. Jornal de Psicologia, 11, 5-7.Correia, L. M. (2005). Inclusão e necessidade educativas especiais: um guia para educadores e professores. Porto: Porto Editora.

Correia, L.M. (2008). A escola contemporânea e a inclusão dos alunos com NEE– considerações para uma educação com sucesso. Porto: Porto Editora.

Ferreira, M., Prado, S. y Cadavieco, J. (2015). Educação Inclusiva: Natureza e Fundamentos. Revista Nacional e Internacional de Educação Inclusiva, 8(3), 1-11.

Hussain, M., Hassan, M.U., Parveen, I. y De Souza, J. (2014). Analysis of teachers’ comportments towards practices in classrooms of model schools. Journal of Educational Sciences and Research, 1(1), 30- 49.

Lopes, M. (2008). In/exclusão escolar: a invenção de tipos específicos de alunos. Revista Colombiana de Educación, Universidad Pedagógica Nacional, 54, 96-119.

Madureira, I. y Leite, T. (2003). Necessidades Educativas Especiais. Lisboa: Universidade Aberta.Melo, F.R.L.V. (2008). Atendimento educacional do aluno com paralisia cerebral: uma experiência de formação continuada. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB.

Morgado, J. (2009). Educação Inclusiva as escolas actuais: Contributo para a reflecção. En Atas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia (pp. 104-117). Braga: Universidade do Minho.

Plaisance, E. (2008). The integration of disabled children in ordinary school in France: A new challenge. En L. Barton y F. Armstrong (eds.), Policy, experience and change: cross-cultural reflections on inclusive education (pp.37-52). Países Bajos: Springer.

Rodrigues, D. (2000). Paradigma da Educação Inclusiva- Reflexão Sobre Uma Agenda Possível. Inclusão, 1, 7-13.

Sanches, I. (2001). Comportamentos e Estratégias de Actuação na Sala de Aula. Porto: Porto Editora.

Sanches, I. (2005). Compreender, Agir, Mudar, Incluir. Da Investigação-Acão à Educação Inclusiva. Revista Lusófona de Educação, 5, 127-142.

Sanches, I. y Teodoro, A. (2007). Procurando Indicadores de Educação Inclusiva. Revista Portuguesa de Educação, 2(20), 106-147.

Sousa, A.B. (2009). Investigação em Educação. 2a. ed. Lisboa: Livros Horizonte.

Tomlinson, C.A. (2008). Diferenciação Pedagógica e Diversidade. Ensino de Alunos em Turmas com Diferentes Níveis de Capacidades. Porto: Porto Editora.

Unesco (1994). Declaração de Salamanca e Enquadramento da Ação na Área das Necessidades Educativas Especiais. Conferência Mundial da Unesco sobre Necessidades Educativas Especiais: Acesso e Qua-lidade. Salamanca, 7 a 10 de Junho. Lisboa: Ministério da Educação.

Zabalza, M.A. (1999). Escola, Diversidade e Currículo. Lisboa: Ministério da Educação.