6B008 O popular e o escolar: análise dos saberes populares na produção artesanal de vinagre de vinho tinto da regiã

  • Fernando Nonnemacher Universidade Regional do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Luciana Dornelles Venquiaruto Universidade Regional do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Betyna Faccin Preischardt Universidade Regional do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Rogério Marcos Dallago Universidade Regional do Alto Uruguai e das Missões (URI)

Resumen

Este estudo teve como objetivo geral identificar saberes populares da produção artesanal de vinagre de vinho, com o intuito de viabilizar ações que contribuam com um ensino de Química contextualizado. Com uma abordagem qualitativa e metodologia com “inspiração etnográfica”, com agricultores da Região Fronteira Noroeste do estado do Rio Grande do Sul, Brasil, os discursos foram coletados por meio de entrevistas com três agricultores e a análise, realizada mediante a identificação de categorias dos saberes populares e suas relações com os saberes escolares e acadêmicos. Constatou-se que todos relatam o saber da produção do vinagre de vinho, oriundo da família, como forma de reaproveitar cascas de uva e de vinhos. As técnicas utilizadas pelos três entrevistados foram muito semelhantes, sendo possível identificar a explicação de reações químicas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

ANGROSINO, M. (2009). Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed.
BERNSTEIN, B. (1996). A estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Vozes: Petrópolis.
CEOLIN, I.; CHASSOT, A. I.; NOGARO, A. (2016). Ampliando a alfabetização científica por meio do diálogo entre saberes acadêmicos, escolares e primevos. Revista Fórum Identidades, v. 9, p. 13-33.
CHASSOT, A. (2014). Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. 6 ed. Ijuí: Ed. Unijuí.
CHRISTENSEN, T. (2008). Santa Rosa: histórias e memórias. Porto Alegre, RS: Editora Palloti.
FREIRE, P. (2005). Pedagogia do oprimido. 46. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.
MAINARDES, J.; STREMEL, S. (2010). A teoria de Basil Bernstein e algumas de suas contribuições para as pesquisas sobre políticas educacionais e curriculares. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 11, n. 22, p. 1-24.
VENQUIARUTO, L. D.; DALLAGO, R. M.; ZANATTA, R. C.; NONNEMACHER, F.; SILVA, R. M. G.; KRAUSE, J. C. (2017). Qualidade de vinagres artesanais da Fronteira Noroeste Gaúcha: Teor de ácido acético. Vivências (URI Erechim), v. 13, p. 230.
Publicado
2018-11-20
Cómo citar
Nonnemacher, F., Venquiaruto, L. D., Preischardt, B. F., & Dallago, R. M. (2018). 6B008 O popular e o escolar: análise dos saberes populares na produção artesanal de vinagre de vinho tinto da regiã. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin), 1-6. Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/9073