1B110 A cidade como espaço de ciência: museu aberto

  • Marcia Borin da Cunha Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Unioeste
Publicado
2018-11-15

Toda cidade tem potencial para ser explorado pela escola, como ferramenta para discutir diversos temas, dentre eles, a ciência e a tecnologia que se encontra em cada um dos locais dessa cidade. Assim, a cidade pode ser um Museu Aberto a ser explorado por nossos estudantes, proporcionando a eles um olhar diferenciado e comprometido. Os modos de olhar, sentir e produzir outros significados a respeito do espaço urbano, é um encontro com o conhecimento, é reconhecer seu ambiente por meio da ciência. Diante desses pressupostos é que defendemos, nesse trabalho, a utilização da cidade como um “motivo” para ensinar ciência e tecnologia. De modo a contextualizar essa ideia trazemos um exemplo de atividade realizada em um parque da cidade.

Palabras clave: museu, espaço urbano, escola. (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Cunha, M. B. da. (2018). 1B110 A cidade como espaço de ciência: museu aberto. Tecné Episteme Y Didaxis: TED, (Extraordin). Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/8866
Brasil. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Recuperado de: http://cnpq.br/apresentacao-museus-e-centros-de-ciencia. Bondia, J. L. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf.
Fensham, P. (1999). School science and public understand of science. International Journal of Science Education, London, 21 (7), 755-763.
Fernandes, R. S. (2009). A cidade educativa como espaço de educação não formal, as crianças e os jovens. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, Brasil: 3 (1), 58-74.
Trilla B. J. (1997). Ciudades educadoras: bases conceptuales. Em: M. A. ZAINKO (org). Cidades educadoras (pp.13-34). Curitiba, Brasil: editora da UFPR.