Concepção de Futuros Professores de Matemática sobre as Origens da Demonstração

  • Inocêncio Fernandes Balieiro Filho
Publicado
2017-10-13
O presente trabalho tem por objetivo discutir as concepções dos alunos de Licenciatura em Matemática sobre as origens da demonstração em Matemática e sobre as variações do que é considerada uma demonstração conforme o contexto social e o período histórico. Para isso, foi estabelecido um referencial teórico que possibilitou entender o raciocínio matemático, a natureza da demonstração matemática e os processos envolvidos para construí-la, tomando por base, inicialmente, as pesquisas de Nickerson (2010). Além disso, para possibilitar uma melhor compreensão dos aspectos inerentes aos métodos de demonstração, optamos por uma orientação histórica, filosófica e matemática, numa perspectiva epistemológica e ontológica, presente no processo de demonstração. Em seguida, foi aplicado um questionário para alunos do Curso de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública do Brasil com questões que tiveram como objetivo abordar as concepções dos alunos sobre demonstração em Matemática. Neste texto discutimos os resultados obtidos por meio da análise das respostas dadas a primeira questão do questionário.
Palabras clave: Demonstração, História da Matemática, Fundamentos da Matemática, Concepções, Formação Inicial dos Professores. (es)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Fernandes Balieiro Filho, I. (2017). Concepção de Futuros Professores de Matemática sobre as Origens da Demonstração. Tecné Episteme Y Didaxis: TED. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/4835

Fennema, E.;Loef, M. (1992). Teacher's knowledge and its impact. Em D. A. Grouws (ed.), Handbook of research in mathematics teaching and learning. New York: Macmillan.

Gillings, R. J. (1982). Mathematics in the time of the Pharaohs. New York: Dover.

Joseph, G. G. (2011). The crest of the peacock: non-European roots of mathematics. New Jersey: Princeton University Press.

Moraes, R. (1999). Análise de Conteúdo. Em Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32.

Nickerson, R. S. (2010). Mathematical reasoning: patterns, problems, conjectures, and proofs. New York: Psychology Press, Taylor & Francis Group.

Patton, M. Q. (2002). Qualitative research and evaluation methods. Thousand Oaks: Sage.

Thompson, A. G. (1992). Teacher's beliefs and conceptions: A synthesis of the research. Em D. A. Grouws (ed.), Handbook of research in mathematics teaching and learning. New York: Macmillan.