PERFIL DE TENDENCIAS PARA LA ENSEÑANZA DE LA BIOLOGIA: EXPRESIONES EMERGENTE DEL IX ENPEC (Perfil de tendências para o Ensino de Biologia: expressões emergentes do IX ENPEC)

  • Tafarel FernandesTavares de Melo Universidade Estadual da Paraíba
  • Mayara Larrys Gomes de Assis Universidade Estadual da Paraíba
  • Brenda Costa de Oliveira Galvão Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Publicado
2015-12-10
Apresentamos neste trabalho um perfil da pesquisa em Ensino de Biologia (EB) praticada a nível nacional no Brasil, tomando como referência as produções presentes na IX edição do Encontro Nacional em Pesquisa em Educação em Ciências, apontando tendências propostas à prática docente na área e seu relacionamento com a construção categorial proposta por Krasilchik (2000). Para tanto, foi realizada uma leitura sistematizada de 60 artigos, extração de excertos representativos e agrupamento em 39 expressões, seguindo-se à interação com as categorias propostas pela autora. Destaca-se a incidência de casos em que há relacionamento entre duas das quatro grandes categorias, além da frequência de temas relacionados à formação docente, objetivação do ensino e modalidades didáticas. Os resultados apresentados demonstram a estreita inter-relação entre as tendências para o EB caracterizadas pela autora e as propostas apontadas nas pesquisas do IX ENPEC, abrindo espaço para aprofundamentos a nível de periódicos e programas de Pós-Graduação.
La descarga de datos todavía no está disponible.
Tafarel FernandesTavares de Melo, Universidade Estadual da Paraíba
Universidade Estadual da Paraíba
Mayara Larrys Gomes de Assis, Universidade Estadual da Paraíba
Universidade Estadual da Paraíba
Brenda Costa de Oliveira Galvão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
FernandesTavares de Melo, T., Larrys Gomes de Assis, M., & Costa de Oliveira Galvão, B. (2015). PERFIL DE TENDENCIAS PARA LA ENSEÑANZA DE LA BIOLOGIA: EXPRESIONES EMERGENTE DEL IX ENPEC (Perfil de tendências para o Ensino de Biologia: expressões emergentes do IX ENPEC). Bio-grafía, 173.181. https://doi.org/10.17227/20271034.vol.0num.0bio-grafia173.181

Azevedo, M. C. P. S. de (2004). Ensino por Investigação: problematizando as atividades em sala de aula. In: Carvalho, A. M. P. de. Ensino de ciências – unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Cengage Learning Editores.

Berbel, N. A. N. (1998). A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface Comun Saúde Educ. 2(2), 139-154.

Bizzo, N. M. V. (1991). Ensino de evolução e história do darwinismo. Tese de doutorado em Educação. Universidade de São Paulo – São Paulo, Brasil.

Bizzo, N.; El-Hani, C. N. (2009). O arranjo curricular do ensino de evolução e as relações entre os trabalhos de Charles Darwin e Gregor Mendel. Filosofia e História da Biologia. 4(1), 235-257.

Brasil. (2006). Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEF.

Carvalho. A. M. P. O. (2013) Ensino de ciências por investigação - Condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning.

Chassot, A. (2003). Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação. 22(1), 89-100.

Demo, P. (2000). Educar pela pesquisa. 4.ed. Campinas: Autores Associados.

Fiorentini, D. (1994). Rumos da pesquisa brasileira em Educação Matemática: o caso da produção científica em cursos de Pós-Graduação. Tese de doutorado em Educação - Universidade Estadual de Campinas – Campinas.

Gamboa, S. A. S. (1987). Epistemologia da pesquisa em Educação: estruturas lógicas e tendências metodológicas. Tese de doutorado em Educação - Universidade Estadual de Campinas – Campinas.

Gil-Pérez, D.; Carvalho, A. M. P. de. (1993). Formação de professores de ciências: tendências e inovações. São Paulo: Cortez.

Jacobi, P. R. (2005). Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa.31(2), 233-250.

Krasilchik, M. (2000). Reformas e realidade: o caso do Ensino das Ciências. São Paulo em Perspectiva.14(1), 85-93.

Megid Neto, J. (1998). O Ensino de Ciências no Brasil: catálogo analítico de teses e dissertações - 1972 - 1995. Campinas: Editora da UNICAMP.

Megid Neto, J. (1999). Tendências da pesquisa acadêmica sobre o Ensino de Ciências no Nível Fundamental. Tese de doutorado em Educação - Universidade Estadual de Campinas – Campinas.

Munanga, K. (2005). Superando o racismo na escola. Brasília: MEC/BID/UNESCO.

Osborne, J. (2010). Arguing to learn in science: The role of collaborative, critical discourse. Science, 328(5977), 463-466.

Pinheiro, N. A. M.; Silveira, R. M. C. F.; Bazzo, W. A. (2007). Ciência, Tecnologia e Sociedade: a relevância do enfoque CTS para o contexto do Ensino. Ciência & Educação. 13(1), 71-84.

Santos, W. L. P. dos. (2007). Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. 12(36), 474-550.

Slongo, I. I. P. (2004). A produção acadêmica em Ensino de Biologia: um estudo a partir de teses e dissertações. Tese de doutorado em Educação - Universidade Federal de Santa Catarina – Florianópolis.

Slongo, I. I. P.; Delizoicov, D. (2006). Um panorama da produção acadêmica em Ensino de Biologia desenvolvida em programas nacionais de Pós-Graduação. Investigações em Ensino de Ciências. 11(3), 323-341.

Teixeira, P. M. M.; Megid Neto, J. (2006). Investigando a pesquisa educacional: Um estudo enfocando dissertações e teses sobre o Ensino de Biologia no Brasil. Investigações em Ensino de Ciências. 11(2), 261-282.