Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista

HUMAN BODY AND HEALTH IN SCHOOL CURRICULA: WHEN SOCIOCULTURAL APPROACHES INTERPELLATE BIOMEDICAL AND HYGIENIST HEGEMONY

  • Mariana Lima Vilela Universidad Federal Fluminense.
  • Sandra Escovedo Selles Universidad Federal Fluminense.
Publicado
2015-07-01

Este artigo tem como objetivo discutir abordagens do corpo humano e saúde nos currículos de Ciências no Brasil. Reconhecendo a hegemonia da abordagem biomédica do corpo humano, acompanhada de uma visão de saúde higienista e de educação comportamentalista, nos currículos escolares de Ciências, sugerimos que outras abordagens sobre Corpo Humano e saúde – aqui nomeadas como abordagens sociais e culturais – vêm interpelando essa hegemonia. A partir do referencial do conhecimento escolar (Forquin, 1993; Lopes, 1999), e tomando por base o que Ball (2001) define como contextos de influências nos ciclos de políticas de currículo, buscamos identificar evidências de disputas entre essas abordagens, em diferentes contextos de produção de políticas curriculares como são: (i) A mediação docente e os condicionantes escolares– recorrendo a estudos sobre mediações e seleções docentes; (ii) A produção de conhecimento na pesquisa em Educação, em Ciências e na Formação de Professores – por meio de consulta do levantamento bibliográfico realizado em periódicos de Educação em Ciências; e finalmente (iii) As políticas públicas para a Educação–analisando documentos curriculares oficiais, que expressam sentidos de Saúde no currículo escolar. Buscando evidenciar essa disputa entre abordagens curriculares, a análise de evidências sugere que as abordagens biomédicas e higienistas, vem sendo progressivamente interpeladas, e encontram-se em disputa com enfoques sociais e culturais, produzindo mudanças nas concepções de corpo humano e a saúde que circulam nos currículos de Ciências.

Palabras clave: human body, health, curriculum, school education. (en)
Corpo humano, saúde, currículo, educação básica. (es)

Alves, W. (2014). Tensões curriculares no ensino da nutrição e digestão humana: investigando relatos de professores de Ciências e Biologia. Monografia de Especialização não publicada. CESPEB – Curso de Especialização Saberes e Práticas da Educação Básica. Ênfase em Ensino de Ciências e Biologia – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ. Rio de Janeiro, Brasil.

Ball, S. J. (2001). Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem Fronteiras, 1(2), 99-116.

Batistella, C. (2007). Abordagens Contemporâneas do Conceito de Saúde. In: Fonseca, A. F. (Org.). O territorio e o processo saúde-doença (pp. 51-86). Rio de Janeiro: FIOCRUZ.

Brasil, MEC. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília, MEC.

Brasil, MEC. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Temas transversais Meio Ambiente e Saúde. Volume 9. Brasília, MEC.

Brasil, MEC. (2011). Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE. Secretaria de Educação Básica. Edital de convocação 06/2011 – CGPLI. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de coleções didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático. PNLD 2014. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/programas/livro-didatico/livro-didatico-editais/item/4032-pnld-2015. Acesso em 09 de março de 2015.

Carmo, E. M. (2013). Saberes mobilizados por profesores de Biologia e a produção do conhecimento escolar. Tese de Doutorado não publicada. Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Brasil.

Dávila, J. (2005). Diploma de Brancura – Política Sociale racial no Brasil – 1917-1945. São Paulo: Editora da Unesp.

Forquin, J. C. (1993). Escola e Cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas.

Freitas, E. (2012). A saúde no livro didático de Ciências: transversalidade, formação para cidadania e promoção da saúde. In: Martins, I. Gouvêa, G. & Vilanova, R. O livro didático de Ciências: Contextos de exigência, critérios de seleção, práticas de leitura e usos em sala de aula (pp. 125-136) NUTES UFRJ.

Hora, D. M. (2011). O olho clínico do professor. Um estudo sobre conteúdos e práticas medicalizantes no currículo escolar. Rio de Janeiro: Contracapa. Lima, A. & Moreira M. C. Abordagens de saúde: o que encontramos nos livros didáticos de ciências. In: Martins, I. Gouvêa, G. & Vilanova, R. O livro didático de Ciências: Contextos de exigência, critérios de seleção, práticas de leitura e usos em sala de aula (pp. 115-124) NUTES UFRJ.

Lopes, A. R. C. (1999). Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro, RJ: EdUERJ.

Marandino, M., Selles, S. E. & Ferreira, M. S. (2009). Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Ed. Cortez.

Martins, I., Gouvêa, G. & Vilanova, R. (2012). O livro didático de Ciências: Contextos de exigência, criterios de seleção, práticas de leitura e usos em sala de aula. NUTES UFRJ.

Moreira, A. F. B. & Silva, T. T. (1995). Sociologia e teoría crítica do currículo: uma introdução. In: Moreira, A. F. B. & Silva, T. T. Currículo, cultura e sociedade. (pp.7-37). São Paulo: Cortez.

Moreira, L. B., Vilela, M. L. & Selles, S. E. (2015). Abordagens sobre corpo humano e saúde na Educação em Ciências: levantamento em periódicos brasileiros (1996–2014). In: Anais do III Encontro Regional de Ensino de Biologia – Regional 4 SBEnBio (MG, TO, GO, DF). Universidade Federal de Juiz de Fora: Juiz de Fora, MG.

Pamplona, M. A. (2000) A Revolta era da Vacina? In: Heizer, A; Videira, A. A.P. (Orgs.). Ciência, Civilização e República nos Trópicos. Rio de Janeiro: Mauad.

Sacristán, J. G., & Goméz, A. I. P. (2000). Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artes Médicas.

Sant’Anna, D. B. (2011). Higiene e higienismo entre o Império e a República. In: Del Priore, M.; Amantino, M. (Orgs.). História do Corpo no Brasil (pp. 283-312). São Paulo: Editora da Unesp.

Santos, L. H. S. Ribeiro, P. R. C. (Orgs.) (2011). Corpo, Gênero e Sexualidade, Instâncias e práticas de produção nas políticas da própria vida. Rio Grande: Editora da FURG.

Trivelato, S. L. F. (2005). Que corpo/ser humano habita nossas escolas? In: Marandino, M., Selles, S. E., Ferreira, M. S. & Amorim, A. C. M. Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa (pp. 121-130). Niterói, EdUFF.

Vargas, C. D., Mintz, V. & Meyer, M. A. A. (1988). O corpo humano no livro didático ou de como o corpo didático deixou de ser humano. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 8, 12-18.

Vilela, M. L. (2009). A Biologia na sala de aula pelas escritas de professores em formação: um olhar de pesquisa sobre relatórios de prática de ensino. In: Selles, S. E. et al. (Org.). Ensino de Biologia: histórias,saberes e práticas formativas. Uberlândia:EdUFU.

Vilela, M. L., Gomes, M. M., Cassab, M. & Azevedo, M. (2012). Conhecimentos escolares de biologia: Investigando seleções e mediações didáticas de professores. In: Selles, S. E. & Cassab, M. (Org.). Currículo, docência e Cultura. Niterói: EdUFF.

APA

Lima Vilela, M., & Escovedo Selles, S. (2015). Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía, 8(15), 112.121. https://doi.org/10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121

ACM

[1]
Lima Vilela, M. y Escovedo Selles, S. 2015. Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía. 8, 15 (jul. 2015), 112.121. DOI:https://doi.org/10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121.

ACS

(1)
Lima Vilela, M.; Escovedo Selles, S. Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía 2015, 8, 112.121.

ABNT

LIMA VILELA, M.; ESCOVEDO SELLES, S. Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía, [S. l.], v. 8, n. 15, p. 112.121, 2015. DOI: 10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121. Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/4247. Acesso em: 10 may. 2021.

Chicago

Lima Vilela, Mariana, y Sandra Escovedo Selles. 2015. «Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista». Bio-grafía 8 (15):112.121. https://doi.org/10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121.

Harvard

Lima Vilela, M. y Escovedo Selles, S. (2015) «Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista», Bio-grafía, 8(15), p. 112.121. doi: 10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121.

IEEE

[1]
M. Lima Vilela y S. Escovedo Selles, «Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista», Bio-grafía, vol. 8, n.º 15, p. 112.121, jul. 2015.

MLA

Lima Vilela, M., y S. Escovedo Selles. «Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista». Bio-grafía, vol. 8, n.º 15, julio de 2015, p. 112.121, doi:10.17227/20271034.vol.8num.15bio-grafia112.121.

Turabian

Lima Vilela, Mariana, y Sandra Escovedo Selles. «Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista». Bio-grafía 8, no. 15 (julio 1, 2015): 112.121. Accedido mayo 10, 2021. https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/4247.

Vancouver

1.
Lima Vilela M, Escovedo Selles S. Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía [Internet]. 1 de julio de 2015 [citado 10 de mayo de 2021];8(15):112.121. Disponible en: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/4247

Descargar cita

Citaciones

Crossref Cited-by logo
0

Métricas PlumX

Visitas

1417

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.