Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)

Herpetology and education for ethnic-racial relations

  • Antonio Mauricio Fontinele de Freitas Universidade Federal de Santa Catarina
  • Yonier Alexander Orozco Marín Universidade Federal do Norte do Tocantins
Publicado
2023-01-24

Considerando as lutas que vêm sendo travadas no âmbito educacional, principalmente aquelas focadas nos debates decoloniais, voltadas ao combate da supressão dos modos de ser/ver/estar no mundo de outros povos que não o branco europeizado, e considerando também os impactos negativos que a fauna de répteis, mais específico as serpentes, têm sofrido graças a visão cristã de que esse animais são personificação do “pecado original”, apresentamos essa proposta de pesquisa com o objetivo de caracterizar as possibilidades de abordar as temáticas de herpetologia no ensino de biologia e educação ambiental com sentidos e perspectivas das religiões e cosmovisões de matriz africana, na perspectiva de professores e professoras de biologia em diferentes regiões do Brasil. Pautados na crença de que as africanidades brasileiras podem nos oferecer suportes inspiradores para novos aprendizados, pois estas marcam a cultura nacional como um todo, e se materializam no cotidiano brasileiro de forma espontânea. Citamos como alternativa para abranger outras culturas e fontes de conhecimento, além de visibilizar e dialogar com a pluralidade do sincretismo religioso brasileiro, religiões africanas e as religiões brasileiras de matriz-africana, apontamos a intervenção didática em forma de sequência como alternativa de abordar os conhecimentos sobre ecologia e zoologia pautados na educação para relações etnico-raciais (ERER)

Palabras clave: Decoloniality; education for ethnic-racial relations; Snakes; African religions. (en)
Decolonialidade; ERER; Serpentes; Religiões Africanas (pt)

Bento, M. (2002). Branquitude: o lado oculto do discurso sobre o negro. Psicologia social do racismo, 2: 147-162.

Borges, R. (1999). Serpentes peçonhentas brasileiras: Manual de identificação, prevenção e procedimentos em caso de acidentes. Editora Atheneu: São Paulo.

Cassiani, S. (2018). Reflexões sobre os efeitos da transnacionalização de currículos e da colonialidade do saber/poder em cooperações internacionais: foco na educação em ciências. Ciência & Educação (Bauru), 24(1): 225-244.

Delizoicov, D. (2008). La Educación en Ciencias y la Perspectiva de Paulo Freire. Alexandria, 1(2): 37-62.

Gomes, N. (2012). Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras, 12(1).

Lema, T. (2002). Os répteis do Rio Grande do Sul: atuais e fósseis, biogeografia e ofidismo. EDIPUCRS: Porto Alegre.

Ludke, M., y André, M. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária.

Marín, Y. (2022). Antirracismo e dissidência sexual e de gênero na educação em biologia: caminhos para uma didática decolonial e interseccional. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica.

Marin, Y., y Cassiani, S. (2021). Enseñanza de la Biología y lucha antirracista: Posibilidades al abordar la alimentación y nutrición human. Educación en Biología, 24(1): 39-54.

Munanga, K. (1999). Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis: Editora Vozes.

Nascimento, C. (2020). Educação das relações étnico-raciais: branquitude e educação das ciências. Tese - Programa de Pós-Graduação Científica e Tecnológica, UFSC - Florianópolis.

Orlandi, E. (2012). Análise de discurso: princípios & procedimentos. Pontes.

Paiva, M. (2015). Um olhar sobre “epistemologias do sul” de Boaventura de Sousa Santos. Revista Uniara, 18: 198–205.

Pinheiro, B. (2019). Educação em Ciências na Escola Democrática e as Relações Étnico-Raciais. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 19: 329–344.

Rocha, R. (2011). A Pedagogia da Tradição: as dimensões do ensinar e do aprender no cotidiano das comunidades afro-brasileiras. Dissertação - Programa de Pós-Graduação em Educação, FAE-UEMG - Belo Horizonte.

Santos, B., y Meneses, M. (2010). Epistemologias do sul. 1. ed. Coimbra: Almedina.

Silva, P. (2003). Africanidades Brasileiras: esclarecendo significados e definindo procedimentos pedagógicos. Revista do Professor, 19(73): 26-30.

Stidworthy, J. (1969). Serpentes. Editora da Universidade de São Paulo: São Paulo.

Verrangia, D. (2014). Educação científica e diversidade étnico-racial: o ensino e a pesquisa em foco. Interações, 10: 02-27.

APA

Fontinele de Freitas, A. M. y Orozco Marín, Y. A. (2023). Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER). Bio-grafía. https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021

ACM

[1]
Fontinele de Freitas, A.M. y Orozco Marín, Y.A. 2023. Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER). Bio-grafía. (ene. 2023).

ACS

(1)
Fontinele de Freitas, A. M.; Orozco Marín, Y. A. Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER). Bio-grafía 2023.

ABNT

FONTINELE DE FREITAS, A. M.; OROZCO MARÍN, Y. A. Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER). Bio-grafía, [S. l.], 2023. Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021. Acesso em: 1 feb. 2023.

Chicago

Fontinele de Freitas, Antonio Mauricio, y Yonier Alexander Orozco Marín. 2023. «Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)». Bio-grafía, enero. https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021.

Harvard

Fontinele de Freitas, A. M. y Orozco Marín, Y. A. (2023) «Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)», Bio-grafía. Disponible en: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021 (Accedido: 1 febrero 2023).

IEEE

[1]
A. M. Fontinele de Freitas y Y. A. Orozco Marín, «Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)», Bio-grafía, ene. 2023.

MLA

Fontinele de Freitas, A. M., y Y. A. Orozco Marín. «Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)». Bio-grafía, enero de 2023, https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021.

Turabian

Fontinele de Freitas, Antonio Mauricio, y Yonier Alexander Orozco Marín. «Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER)». Bio-grafía (enero 24, 2023). Accedido febrero 1, 2023. https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021.

Vancouver

1.
Fontinele de Freitas AM, Orozco Marín YA. Herpetologia e educação para as relações étnicorraciais (ERER). Bio-grafía [Internet]. 24 de enero de 2023 [citado 1 de febrero de 2023];. Disponible en: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/18021

Descargar cita

Visitas

31

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Artículos más leídos del mismo autor/a

1 2 > >>