A trilha da proteção: diálogos e reflexões sobre gênero e violência sexual de crianças e adolescentes no ensino de ciências

The trail of protection: dialogues and reflections on gender and sexual violence of children and adolescents in science teaching

  • Alexandre José Krul Instituto Federal Farroupilha
  • Artiese Machado Madruga Instituto Federal Farroupilha
  • Bruna Kern Moura Instituto Federal Farroupilha
  • Dhenifer Caroline Kraus Instituto Federal Farroupilha
  • Eonice Tozin Instituto Federal Farroupilha
  • Rúbia Emmel Instituto Federal Farroupilha
Publicado
2019-10-11

Esta pesquisa em ensino de Ciências na Educação Básica na temática de gênero e de violência sexual, com o propósito de possibilitar diálogos e debates mais abertamente sobre esse tema. A investigação teve como objetivo compreender as relações e as concepções entre gênero e violência sexual dos estudantes no âmbito da Educação Básica. Através da legislação vigente e de referenciais bibliográficos da área, foi possível aprofundar o conhecimento sobre os temas: gênero e violência sexual e como atingem as crianças e adolescentes, o que possibilitou a elaboração de um jogo didático. Nesta pesquisa foi realizada uma intervenção com um jogo didático “Trilha da Proteção”. A população de pesquisa foram os estudantes de duas turmas do 7° ano (Turma A e Turma B) e do 8° ano (Turma A e Turma B) do Ensino Fundamental de uma escola da Rede Pública Estadual, do município de Santa Rosa, totalizando em 98 alunos. Através do jogo “Trilha da proteção” foi possível o empoderamento dos sujeitos perante a violência sexual, que tiveram a possibilidade de dialogar, trocar e compartilhar conhecimentos sobre a temática. Portanto, nesta pesquisa compreendemos que o gênero, a violência de gênero, a violência sexual, podem fazer parte dos currículos escolares, inclusive nas aulas de Ciências e Biologia. Concluímos que, ao mesmo tempo que a escola está formando um estudante, ela também está formando sujeitos de linguagem, que são marcados por discursos e por relações de poder.

Palabras clave: Science teaching, Children and Adolescents, Genre, Sexual Violence (en)
Palabras clave: Ensino de Ciências, Crianças e Adolescentes, Gênero, Violência Sexual (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Krul, A. J., Madruga , A. M., Moura, B. K., Kraus, D. C., Tozin, E., & Emmel, R. (2019). A trilha da proteção: diálogos e reflexões sobre gênero e violência sexual de crianças e adolescentes no ensino de ciências. Bio-grafía, 1347-1356. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/11097
Araújo, M. (2002). Violência e abuso sexual na família. Psicologia em Estudo, 7 (2) (jul./dez.), 3-11.
Azevedo, M. A. & Guerra, V. N. A. (2000). Políticas sociais e a violência doméstica contra crianças e adolescentes: breves incursões no panorama internacional. En: Azevedo, M. A. & Guerra, V. N. A. (ed.). Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento (p. 246-75). São Paulo: Cortez.
Estatuto da Criança e do Adolescente. (1990). Câmara dos Deputados, Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. Brasília, DF. Recuperado em 10 abril 2019, de www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm
Florentino, B. (2015). As possíveis consequências do abuso sexual praticado contra crianças e adolescentes. Fractal: Revista de Psicologia, 27 (2) (mai./ago.), 139-144.
Inoue, S. R. V. & Ristum, M. (2008). Violência sexual: caracterização e análise de casos revelados na escola. Estudos de psicologia. 25(1), 11-21.
Lima, J. & Deslandes, S. (2011). A notificação compulsória do abuso sexual contra crianças e adolescentes: uma comparação entre os dispositivos americanos e brasileiros. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 15(38), 1-13.
Meyer, F. (2017). Análise do jogo trilha da proteção: como auxiliar na diminuição da vulnerabilidade para a violência sexual infantil. (Dissertação, Mestrado Profissional em Educação Sexual), Universidade Estadual Paulista, Araraquara. Recuperado de http://wwws.fclar.unesp.br/agenda-pos/educacao_sexual/4188.pdf
Saffioti, H. (2007). A síndrome do pequeno poder. En: Azevedo, M. A. & Guerra, V. N. (org). Crianças Vitimizadas: a síndrome do pequeno poder. São Paulo: Iglu.