Corpo, gênero e sexualidade: na formação inicial de professores de ciências biológicas

  • Alexandre José KRUL Instituto Federal Farroupilha
  • Rúbia EMMEL Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Ketlin Rafaela Stasiak SCHNEPFLEITNER Instituto Federal Farroupilha
  • Tiago Felipe Rudke ASSENHEIMER Instituto Federal Farroupilha
Publicado
2019-10-11

Esta investigação tem como temática as relações de gênero e as contribuições da prática docente, no contexto da formação inicial de professores de Ciências Biológicas, para a desmistificação de diferenças e preconceitos em relação a sexualidade em sala  de aula. Esta pesquisa teve como objetivo geral compreender as concepções de sexualidade, de gênero e de identidade dos licenciandos em Ciências Biológicas. A investigação foi realizada através de pesquisa bibliográfica, com análise documental, pesquisa de campo e através da elaboração, aplicação e da análise de dados de um questionário aberto. Na análise identificou-se na categoria identidade de gênero, tabulada a partir da questão: “2) Quais dessas diferenças são biológicas? Quais são construídas socialmente?”, teve como resposta mais frequente a de que as diferenças biológicas entre o homem e a mulher são os órgãos genitais (12 respostas), e que as construídas socialmente seriam a identidade de gênero (3 respostas) e o gênero em si (2 respostas), que por ser um papel social pode ser considerado como mutável. Percebemos a presença da ideologia machista ainda presente em nossa sociedade, como estabelecido na resposta: “Homem trabalha fora, gosta de futebol, mulher cuida da casa, dos filhos”. Portanto, foi possível evidenciar a importância das temáticas corpo, gênero e sexualidade, de forma integrada nas aulas de Ciências e Biologia, e até mesmo através de projetos interdisciplinares no contexto da Educação Básica.

Palabras clave: gender diversity, science teaching, gender identity (en)
Palabras clave: diversidade de gênero, ensino de ciências, identidade de gênero (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
KRUL, A. J., EMMEL, R., SCHNEPFLEITNER, K. R. S., & ASSENHEIMER, T. F. R. (2019). Corpo, gênero e sexualidade: na formação inicial de professores de ciências biológicas. Bio-grafía, 1160-1171. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/11063
Birkhead, T. R. (1996). In it for the eggs. Washington, DC: Science.
Butler, J. P. (2010). Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
Ferreira, B. de H. (2008). Mini Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. 7.ed. Curitiba: Positivo.
Junqueira, R. (2007). O reconhecimento da diversidade sexual e a problematização da homofobia no contexto escolar. Anais do Seminário: Corpo, gênero e sexualidade: discutindo práticas educativas, Rio Grande, RS, Brasil.
Louro, G. (1997). Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes.
Lüdke, M. & André, M. E. D. A. de. (1986). Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.
Meyer, D. & Soares, R. (2013). Corpo, gênero e sexualidade. 3 ed. Porto Alegre: Mediação.
Resolução 466 (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras da pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília, DF. Recuperado em 10 de abril de 2019, de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf
Silva, T. T. (2014). A produção social da identidade e da diferença. En: Silva, T. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15. ed. Petrópolis: Vozes.

Artículos más leídos del mismo autor/a