Meio ambiente e formação de professores: entre representações e práticas

Environment and teacher training: between representations and pratices

  • Leonardo Priamo Tonello Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Eliane Gonçalves dos Santos Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Paula Vanessa Bervian Universidade Federal da Fronteira Sul
Publicado
2019-10-11

A Educação Ambiental (EA) torna-se cada vez mais relevante no trato das questões ambientais. Portanto, faz-se necessário pensar as práticas pedagógicas preconizadas neste processo. Baseando-se na perspectiva de que as representações de meio ambiente, determinam e regem as práticas pedagógicas do professor na EA, este trabalho, teve por objetivo identificar e refletir sobre as representações de meio ambiente de professores em formação inicial dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas, Química e Física. A pesquisa caracteriza-se como documental com foco na Educação nas Ciências e que utiliza a Análise de Conteúdo para identificar os entendimentos de 12 licenciandos, participantes do Programa de Educação Tutorial – PET Ciências. Tendo como eixo central: Meio ambiente e formação de professores. As respostas na análise de dados foram classificadas por categorias a priori de representação de meio ambiente: naturalista, globalizante e antropocêntrica. Respectivamente nestas categorias, os resultados apresentam a ocorrência da representação globalizante (10:12), seguida da naturalista (1:12) e por fim a antropocêntrica (1:12). Por meio dos resultados, a representação globalizante é predominante e orienta as práticas pedagógicas na EA, dinâmicas e interativas, a partir de uma visão holística. Cabe ressaltar também, a importância do programa PETCiências, na formação inicial de professores, com um eixo central, pautado em temáticas como meio ambiente e formação de professores.

Palabras clave: environmental education, pedagogical practices, initial teacher training, science teaching (en)
Palabras clave: educação ambiental, práticas pedagógicas, formação inicial de professores, ensino de ciências (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Priamo Tonello, L., Gonçalves dos Santos, E., & Bervian, P. V. (2019). Meio ambiente e formação de professores: entre representações e práticas. Bio-grafía, 982-992. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/10999
ledesma, M. D., Hendges, S. N. R., e Güllich, R. I. da C. (2017). O Ensino de Ciências nas redes sociais. Em: Anais IV Congresso Internacional de Educação Cientifica e Tecnológica, 8, 1048-1055. Recuperado de: http://www.santoangelo.uri.br/anais/ciecitec/2017/home.htm
Fernandes, L. (2011). Redes sociais online e educação: contributo do Facebook no contexto das comunidades virtuais de aprendentes. Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Recuperado de: http://www.trmef.lfernandes.info/ensaio_TRMEF.pdf
Effting, T. R (2007). Educação ambiental nas escolas públicas: realidade e desafios, 78. Monografia (Especialização) - Curso de Pós-Graduação em Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Marechal Cândido Rondon. Recuperado de: http://ambiental.adv.br/ufvjm/ea2012-1monografia2.pdf
Hames, C., Frison, M. D., e Araújo, M. C. P. de. (2009). A educação ambiental como articuladora na produção de saberes e no desenvolvimento da consciência ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v especial, 88-102, 2009. Recuperado de: https://periodicos.furg.br/remea/article/viewFile/3957/2353
Tonello, L. P., Wyzykowsk, T., e Güllich, R. I. C. (2018) O uso de charges e histórias em quadrinhos para potencializar a educação ambiental no ensino de ciências. AMBIENTE & EDUCAÇÃO - Revista de Educação Ambiental (23) 2, 369-381. Recuperado de: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/viewFile/8446/5491
Guimarães, M. (2000). A dimensão ambiental na educação. Campina: Papirus.
Boer, N. (2007). Educação ambiental e visões de mundo: uma análise pedagógica e epistemológica, 214. (Tese) – Curso de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina. Recuperado de: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/90569
Sauvé, L. (2005). Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, 31(2). 317-322. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/%0D/ep/v31n2/a12v31n2.pdf
Leff, E. (2001). Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez.
Lüdke, M., e André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.
Reigota, M. (1998). Meio ambiente e representação social .3ª ed. São Paulo: Cortez.
Morin, E., e Kern, A. B. (1995). Terra Pátria. Tradução: Paulo Azevedo Neves da Silva. Porto Alegre: Sulina

Artículos más leídos del mismo autor/a