Conversa(ação) sistêmica na/para/com a educação ambiental das infâncias

Conversation (action) systemic at/for/with the childhoods environmental education

  • Eliane Lima Piske Universidade Federal do Rio Grande
  • Narjara Mendes Garcia Universidade Federal do Rio Grande
  • Maria Angela Mattar Yunes Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Publicado
2019-10-11

Só podemos perceber a experiementação humana no entrelaçamento biologia-culturalque integra as dimensões dabioecologia do desenvolvimento humano, base teóricapresente no artigoque inspiroue possibilitou desenhar a intervenção. O emaranhado teórico-metodológico permitiu construir uma estratégiasistêmica de conversa(ação) com os educadores ambientais das infâncias de múltiplos contextos ecológicos microssistêmicos. A metodologiaadotadafoi uma maneira de contemplar o olhar bioecológico na/para/com a Educação Ambiental das Infâncias, que resultou numa conversa(ação) sistêmica com os educadores ambientais das infâncias. O tecer sistemático foicapaz de mobilizar um novo olhar para as pesquisas.

Palabras clave: Childhoods, Systemic, Educators, Conversation, Environmental Education (en)
Palabras clave: Infâncias, Sistêmico, Educadores, Conversa, Educação Ambiental (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Lima Piske, E., Mendes Garcia, N., & Mattar Yunes, M. A. (2019). Conversa(ação) sistêmica na/para/com a educação ambiental das infâncias. Bio-grafía, 895-905. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/10988
Barcelos, V. (2012). Educação Ambiental: sobre princípios, metodologias e atitudes. 4. ed. – Petrópolis, Rio de Janeiro/RJ: Vozes.

Boff, L. (2012). As quatro ecologias: ambiental, política e social, mental e integral/Leonardo Boff. - Rio de janeiro: Mar de ideias: Animus Anima.

Bronfenbrenner, U. (2011). Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. (A. de Carvalho-Barreto Trad.). Porto Alegre: Artmed.

Capra F. & Steindl-R. (1998). Pertencendo ao universo: explorações nas fronteiras da ciência e da espiritualidade. Editora Cultrix Ltda, São Paulo.

Capra, F. (2006). A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Tradução Newton Roberval Eichemberg. Editora Cultrix, São Paulo.

Capra, F. (2005). As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável/ Fritjof Capra; traduçãoMarcelo Brandão Cipolla. – São Paulo: Cultrix.

Carvalho, A., Pedrosa, M.& Rossetti-Ferreira, M. C. (2012). Aprendendo com a criança de zero a seis anos. São Paulo, Cortez Editora.

Cecconello, A. M.& Koller, S. H. (2004). Inserção Ecológica na Comunidade: uma proposta metodológica para o estudo de famílias em situação de risco. In Koller, S. H. (org). Ecologia do Desenvolvimento Humano: pesquisa e intervenção no Brasil. São Paulo: casa do psicólogo.

Gomes, M. O. (2013). Formação de professores na educação infantil/ Marineide de Oliveira Gomes. -2. Ed. – São Paulo: Cortez.

Koller, S. H., Morais, Normanda A.& Paludo, S S. (2016). Inserção Ecológica: um método de estudo do desenvolvimento humano/ Silvia Helena Koller, Simone dos Santos Paludo e Normanda Araujo de Morais. –São Paulo: Casa do Psicólogo.

Leff, E. (2001). Saber ambiental: racionalidade, complexidade, poder/Enrique Leff; tradução de Lúcia Methilde Endlich Orth- Petrópolis, RJ: vozes.

Maturana, R. H. & Varela, J. F. (2011). A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. Tradução: Humberto Mariotti & Lia Diskin; ilustração: Carolina V., Olivares, E. O., Olivares, F.& MaturanaM. –São Paulo, Palas Athena, 9ª. Edição.
Maturna, R. H. & Yáñez, X. D. (2009). Habitar humano em seis ensaios da biologia-cultural. Tradução de Cabral, E. Araújo. São Paulo, Palas Athena.

Piorski, G. (2016). Brinquedos do chão: a natureza, o imaginário e o brincar. São Paulo: Petrópolis.

Romero, E. L. G. (2009). O gesto como imagem e a imagem como gesto: a gestualidade das mãos na comunicação. Tese de Doutorado não-publicada, Doutorado em Comunicação e Semiótica. Pontifica Universidade Católica de São Paulo PUC-SP. Disponível em: . Acesso: 12 set. 2018.

Sauvé, L. (2005). Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n 2, p. 317-322. Disponível em: . Acesso: 30 mar. 2018.