Prática de ensino em ciências: investigação sobre as concepções de gênero de crianças e adolescentes

Science teaching practice: research on the conceptions of gender of children and adolescents

  • José Alexandre Krul Instituto Federal Farroupilha
  • Artiese Machado Madruga Instituto Federal Farroupilha
  • Bruna Kern Moura Instituto Federal Farroupilha
  • Dhenifer Caroline Kraus Instituto Federal Farroupilha
  • Eonice Tozin Instituto Federal Farroupilha
  • Rúbia Emme Universidade Federal da Fronteira Sul
Publicado
2019-10-11

Esta pesquisa teve a temática de gênero, com o propósito de possibilitar diálogos e debates sobre o tema, a pesquisa teve como objetivoanalisar as concepções de gênero de estudantes no âmbito da Educação Básica. Através da legislação vigente e de referenciais bibliográficos da área, foi possível aprofundar o conhecimento sobre a temática de gênero. Nesta pesquisa foi realizado um questionário com 98 estudantes de duas turmas do 7° ano e do 8° ano do Ensino Fundamental de uma escola da Rede Pública Estadual, do município de Santa Rosa. Esta pesquisa em educação de abordagem qualitativa, teve em sua tipologia a pesquisa de campo, na intervenção os/as estudantes responderam um questionário (com 8 questões), para a análise de dados do questionário utilizou-se a análise de conteúdo, por categoria temática. Sendo que neste recorte de análise a categoria definida a priori foi concepção de gênero. Portanto, nesta pesquisa compreendemos que o gênero pode fazer parte dos currículos escolares, inclusive nas aulas de Ciências e Biologia. Concluímos que, ao mesmo tempo que a escola está formando um estudante, ela também está formando sujeitos de linguagem, que são marcados por discursos e por relações de poder.

Palabras clave: Science teaching, Genre, Sexuality, Children and Adolescents (en)
Palabras clave: Ensino de Ciências, Gênero, Sexualidade, Crianças e Adolescentes (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Krul, J. A., Machado Madruga, A., Kern Moura, B., Kraus, D. C., Tozin, E., & Emme, R. (2019). Prática de ensino em ciências: investigação sobre as concepções de gênero de crianças e adolescentes. Bio-grafía, 556-566. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/10952
Louro, G. (1997). Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes.
Lüdke, M. & André, M. E. D. A. de. (1986). Pesquisa em Educação:abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.
Parecer CNE/CEB n. 11/2010, de 7 de julho de 2010 (2010). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 anos. Brasília, DF. Recuperado em 10 de abril de 2019, de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6324-pceb011-10&Itemid=30192
Pelúcio, L. (2014). Desfazendo o gênero. En: Júnior, J. &Miskolci, R. (orgs.). Diferenças na Educação: outros aprendizados. 20. ed. São Carlos: EdUFSCar.
Resolução 466 (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras da pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília, DF. Recuperado em 10 de abril de 2019, de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf
Saffioti, H. (2007). A síndrome do pequeno poder. En: Azevedo, M. A. & Guerra, V. N. (org.). Crianças Vitimizadas: a síndrome do pequeno poder. São Paulo: Iglu.
Silva, T. T. (2004). Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica.
Silva, T. T. (2014). A produção social da identidade e da diferença. En: Silva, T. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15. ed. Petrópolis: Vozes.