Educação ambiental na formação inicial de professores de ciências: revisão bibliográfica nas atas do ENPEC

Environmental education in the initial formation of science teachers: bibliographic review in the ENPEC minutes

  • Rafaela Engers Günzel Universidade Federal do Rio Grande FURG
  • Fernanda Seidel Vorpagel Universidade Federal do Rio Grande FURG
  • Aline Machado Dorneles Universidade Federal do Rio Grande FURG
Publicado
2019-10-11

O diálogo com as questões de Educação Ambiental se tornouimprescindível em todos os níveiseducacionais, considerando suanecessidade nos aspectos e problemáticas sociais que se apresentam no século XXI. Diantedessepressuposto, decorre pensar nos movimentos formativos e, por isso, busca-se nesteestudo em desenvolvimento, realizar umarevisãonas atas do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC) com objetivo de compreender como se apresenta à temática da EA naformação inicial de professores no Brasil. A análise dos trabalhos do ENPEC foi realizada pelo viés da Análise Textual Discursiva (ATD) proposta por Moraes e Galiazzi (2016). Para o presente trabalho, apresenta-se o detalhamento de uma das categorias emergentes naanálise, que trata as questões de EA no currículo educacional, apostando nainterdisciplinaridade e naambientalização do currículo e do processo formativo de professores e alunos, para uma EA que contribua para umaformação crítica e reflexiva.

Palabras clave: environmentalization, teacher training, curriculum (en)
Palabras clave: ambientalização, formação de professores, currículo (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Günzel, R. E., Vorpagel, F. S., & Machado Dorneles, A. (2019). Educação ambiental na formação inicial de professores de ciências: revisão bibliográfica nas atas do ENPEC. Bio-grafía, 535-545. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/article/view/10951
Barros, T. G. E. de e Quirós, W. P. de. (2015). Estado da Arte sobre as pesquisas de formação de professoresnaEducação Ambiental. In: X ENPEC,Águas de Lindóia. http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/. (Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Bicudo, M. A. V. (2011). Pesquisa Qualitativa segundo a visão fenomenológica. São Paulo: Cortez Editora.
Brandão, C. R. (2005). Aqui é onde eu moro, aquinós vivemos: escritos para conhecer, pensar e praticar o município educador sustentável.Brasília: MMA, Programa Nacional de Educação Ambiental.
Brasil. Ministério da Educação. (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília.http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. (Consultado em 01 de março de 2019).
Leinº 9.795, de 27 de abril de 1999. (1999). Dispõe sobre EA e institui a Política Nacional de EA, e dáoutrasprovidências. Brasília.http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. (Consultado em 01 de março de 2019).
Leite, R. F. (2011). Educação ambiental naformaçãoprofissional de professores de Química.In: VIII ENPEC, Campinas. http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/. (Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Lopes, A. C. e Macedo, E. (2011). Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez.
Moraes, R. e Galiazzi, M, do C. (2016). Análise Textual Discursiva.Íjui: Editora Unijuí.
Loureiro, C. F. B. (2003).Premissas teóricas para umaeducação ambiental transformadora. Revista Ambiente e EducaçãoVolume 8 Nº1. ISSN: 1413-8638. https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/897/355. (Consultado em 17 de março de 2018).
Loureiro, C. F. B. e Torres, J. R. (org). Educação Ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez.
Martins, G. A.; Souza, P. de O.; Paulos, G. S.; Brando, F. da R. e Bonzanini, T. K. (2017). Indicadores de interdisciplinaridade em um grupo de estudos: umareflexãoaoensino de temas ambientaisnaformação inicial de professores.In: XI ENPEC, Florianópolis.http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/. (Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Rios-Ramiarina, N. T. (2017). Educação Ambiental e Direitos Humanos naFormação Inicial de Professores de Ciências Biológicas. In: XI ENPEC,Florianópolis. http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/.(Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Silva, R. C. da; Gallo, Â. C. e Oliveira, G. F. de. (2011). Educação socioambiental na Licenciatura em Ciências Biológicas da UFRPE. In: VIII ENPEC, Campinas. http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/. (Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Silva, T. do N. e Farias, C. R. de O. (2015). Políticas curriculares e ambientalização da formação inicial de professores de Química de umaUniversidade Pública de Pernambuco. In: X ENPEC, Águas de Lindóia. http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/. (Consultado em 12 de janeiro de 2019).
Torres, J. R.; Ferrari, N. e Maestrelli, S. R. P. (2014). Educação Ambiental crítico-transformadora no contexto escolar: teoria e práticafreireana. In: Souza, M. L. (2011) Histórias de Professores de Química em Rodas de Formação em Rede: colcha de retalhostecida em partilhas (d)e narrativas. Íjui: Editora Uníjui,.
Tristão, M. (2004). A Educação Ambiental naFormação de Professores: redes de saberes. São Paulo: Annablume.
Viveiro, A. A. e Campos, L. M. L. (2007). Modalidades Didáticas e a Inserção da Temática Ambiental em um Curso de Formação de Professores de Ciências. In: VIENPEC, Florianópolis.http://abrapecnet.org.br/wordpress/pt/ (Consultado em 12 de janeiro de 2019)