National Curriculum Policies and Geography in the Curricula of the States of Rio de Janeiro and Goiás

Las políticas curriculares nacionales y la geografía en los currículos de los estados de Río de Janeiro y Goiás

As políticas curriculares nacionais e a geografia nos currículos dos estados do Rio de Janeiro e de Goiás

  • Eliana Marta Barbosa de Morais Universidade Federal de Goiás
  • Ana Claudia Ramos Sacramento Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Karla Annyelly Teixeira de Oliveira Universidade Federal de Goiás
  • Loçandra Borges de Moraes Universidade Estadual de Goiás
Publicado
2018-05-30

En los últimos veinte años se han intensificado las discusiones sobre el currículo de geografía como resultado de la aprobación de una serie de documentos que han regulado y guiado los currículos de los cursos de formación de profesores y de las asignaturas escolares. Esos cambios han sido implementados a nivel municipal, estatal y federal, ya sea en la educación privada o en la pública, con distintos énfasis. Este artículo busca reflexionar sobre los documentos curriculares oficiales dirigidos a la educación básica por medio de la presentación de resultados parciales de la investigación realizada en la Red Estatal de Educación de los estados de Rio de Janeiro y Goiás con el reto de comprender el contexto de la educación básica nacional y las diferentes maneras de enseñar la asignatura de Geografía en dichos estados.

Palabras clave: Curriculum, school geography, state network, Rio de Janeiro, Goiás. (en)
Palabras clave: Currículo, geografía escolar, red estatal, Rio de Janeiro, Goiás. (es)
Palabras clave: currículo, Geografia escolar, rede estadual, Rio de Janeiro, Goiás. (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Eliana Marta Barbosa de Morais, Universidade Federal de Goiás

Licenciatura, Bacharelado e Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e Doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP), com doutorado sanduíche pela Universidade Autônoma de Madri (UAM). É professora adjunta da Universidade Federal de Goiás onde é pesquisadora no Laboratório de Estudos e Pesquisa em Ensino de Geografia - LEPEG, e do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Geografia, Ensino e Ambiente - NúcleoGEA. É membro da Rede Latino Americana de Investigadores em Didática da Geografia - REDLADGEO, e é coordenadora do Programa de Pós-graduação em Geografia do IESA/UFG. Pesquisa na área de Ensino de Geografia, formação de professores e componentes físico-naturais do espaço.

Ana Claudia Ramos Sacramento, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Geografia Física pela DG-FFLCH-USP (2012), Mestre em Educação pela FE-USP (2007). Professora do Departamento de Geografia da Faculdade de Formação de Professores - UERJ desde 2013. Experiência como professora das redes pública e privada dos Ensinos Fundamental e Médio. Coordenadora de Projetos pela FAPERJ e CNPQ e de Projeto de Extensão na UERJ-FFP. Desenvolve pesquisas e atua na área de Ensino de Geografia, principalmente nos seguintes temas: Educação Geográfica, Formação de Professor, Currículo e Didática de Geografia nos grupos de Pesquisa Educação e Didática da Geografia.

Karla Annyelly Teixeira de Oliveira, Universidade Federal de Goiás

Professora do curso de Geografia do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da Universidade Federal de Goiás (IESA/UFG). Atua na linha de pesquisa Ensino-aprendizagem de Geografia. Graduada, mestre e doutora em Geografia pelo IESA/UFG, com doutorado sanduiche pela Universidad de Sevilla, Espanha (US).

Loçandra Borges de Moraes, Universidade Estadual de Goiás

Graduada e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás. Doutora em Ciências (Programa de Pós-Graduação em Geografia Física) pela Universidade de São Paulo. É professora do Curso de Geografia da Universidade Estadual de Goiás, Campus Anápolis de Ciências Socioeconômicas e Humanas (CCSEH). Tem experiência na área de ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores e cartografia no ensino de Geografia.

Barbosa de Morais, E. M., Ramos Sacramento, A. C., Teixeira de Oliveira, K. A., & Borges de Moraes, L. (2018). Las políticas curriculares nacionales y la geografía en los currículos de los estados de Río de Janeiro y Goiás. Anekumene, (10), 62-77. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/anekumene/article/view/8017

Callai, H. C., (2006) A articulação Teoria-prática na Formação do Professor de Geografia. Em: A. M. M. Silva, et al.,

Educação Formal e Não Formal, processos formativos e saberes pedagógicos: desafios para a inclusão social.

(pp. 127-161). Rio de Janeiro: Alternativa.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (2001). [Coleção Saraiva de Legislação]. (21a ed.). São Paulo:

Saraiva.

Cossio, M. de F., (2014). Base Comum Nacional: uma discussão para além do currículo. Revista e-Curriculum, 12(3),

pp. 1570-1590.

Ferreira, W. A., (2009). O currículo de geografia: uma análise do documento de reorientação curricular da SEE-RJ. Dissertação

de mestrado apresentado Pós-graduação em Geografia Humana. Departamento de Geografia/

FFLCH- USP, São Paulo.

Huberman, M., (1995). O ciclo de vida profissional dos professores. Em: A. Nóvoa, (Org). Vidas de professores. (2a ed, pp.

-62). Porto: Porto.

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da

União. Brasília, DF.

Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases

da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências.

Diário Oficial da União. Brasília, DF.

Lopes, A. C. & Macedo, E., (2011) . Teorias do Currículo. São Paulo: Cortez.

Macedo, E., (2014). Base Nacional Curricular Comum: Novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação.

Revista e-Curriculum, 12(3), pp.1530- 1555.

Ministério da Educação, (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: Autor.

Moreira, A. F. B. & Silva, T. T., (2001). Sociologia e Teoria crítica do currículo: uma introdução. Em: Currículo, cultura

e sociedade. (5 ed, pp.7-36). São Paulo: Editora Cortez.

Moreira, R., (1987). O discurso do avesso (Para a crítica da Geografia que se ensina). (1a ed). Rio de Janeiro: Contexto.

Pereira, M. Z. C.; Santos, M. E. dos, & Leite, J. C. P., (2012). O Campo das Políticas Curriculares no Brasil: a trajetória

histórica da década de 90. Em: X Colóquio sobre Questões Curriculares/ VI Colóquio Luso Brasileiro de Currículo:

desafios contemporâneos no campo do currículo. Belo Horizonte, MG, Brasil.

Resolução seeduc Nº 4.866, de 14 de fevereiro de 2013. Dispõe sobre a implantação e acompanhamento do currículo

mínimo a ser instituído na rede de ensino pública do Estado do Rio de Janeiro. Diário Oficial do Estado do Rio

de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ.

Sacramento, A. C. R.; Morais, E. M. B.; Oliveira, K. A. T. & Moraes, L. B., (2015). Concepções e particulares dos currículos

estaduais no Brasil: compreendendo a Geografia Escolar em Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo. Em: VI EDIPE

Encontro Estadual de Didática e Práticas de Ensino.(pp. 1-15). Goiânia: CEDEP.

Secretaria do Estado de Educação, (2013). Currículo Referência da Rede Estadual de Educação de Goiás. Goiânia: Autor

Artículos más leídos del mismo autor/a