Um olhar sobre as produções acerca da divulgação da ciência

A Glance on Scientific Dissemination Productions

Una mirada a las producciones sobre la divulgación de la ciencia

Publicado
2019-03-05

O texto trata de uma pesquisa relacionada à divulgação da ciência, que buscou analisar o que vem sendo tratado e como se propõe a realização dos processos
de divulgação cientifica em produções acadêmicas. Foi utilizado como repositório de
busca por materiais que contribuíssem com a pesquisa o Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (capes), do Brasil, entre os anos 2000 a 2016. A análise dos trabalhos foi realizada com base em elementos de pesquisa do tipo estado do conhecimento e análise de discurso. Como resultados, são trazidas três categorias. A primeira trata sobre o uso da tecnologia digital nos processos de divulgação cientifica. Nela, se destacam trabalhos que marcam os intensos efeitos do emprego das tecnologias para a divulgação do conhecimento e sua reconstrução ao público leigo. A segunda remete à linguagem nos textos de divulgação científica, sendo possível perceber a constante exigência da criação de diferentes formas de linguagem para potencializar a divulgação. A terceira categoria aborda os espaços que são utilizados para divulgar a ciência. Tais trabalhos enfatizam a existência de outros espaços além da sala de aula para aguçar nos jovens a produção de saberes sobre a ciência. Como conclusões, tais categorias marcam determinados modos indicados pelo discurso como potentes ao desenvolvimento da divulgação da ciência, de forma que conhecer tais modos possibilita tratar melhor do processo de divulgação e aprimorá-lo.

Palabras clave: science popularization; discourse analysis; speech (en)
Palabras clave: divulgação científica; análise de discurso; discurso (es)
Palabras clave: divulgación científica; análisis de discurso; discurso (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Tatiane Tais Radmann, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Aluna de Licenciatura em Química e bolsista de iniciação científica pela Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Bruno dos Santos Pastoriza, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Doutor em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Professor Adjunto da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Radmann, T. T., & Pastoriza, B. dos S. (2019). Um olhar sobre as produções acerca da divulgação da ciência. Tecné Episteme Y Didaxis: TED, (45), 89-106. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/9836

Adghirni, Z. L., e Pereira, F. H. (2006). Perfil profissional no ciberjornalismo: o blog como espaço de autoria e identidade na web. Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, SBPROJ. Brasília: Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo.

Baalbaki, A.C. (2010) Revista Ciência Hoje das Crianças e o discurso de divulgação científica: entre o ludicismo e a necessidade (Tese de doutorado). Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Caregnato, R. C., e Mutti, R. (2006). Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo.Texto Contexto Enfermagem, 15, 679-684.

Castro, P. A., e Carrión, D. C. (2014). Propuesta de un Diseño Curricular desde las Cuestiones Sociocientíficas. Tecné, Episteme y Didaxis, TED, (ext.), 62-68.

Cunha, R. B. (2017). Alfabetização científica ou letramento científico?: interesses envolvidos nas interpretações da noção de scientific literacy. Revista Brasileira de Educação, 22, 169-186.

Dal Pian, L. (2013). Desafios da divulgação científica em cobertura jornalística de desastre ambiental. Ciência & educação, 19, 929-946.

Ferreira, N. S. (2002). As pesquisas denominadas “estado da arte” em educação. Educação & Sociedade, 79, 257-272.

Fischer, R. M. (2001). Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, 114, 197-223.

Flores, G. B., Martins, M. F., Gallo, S. M. L, e Siebert, S. A. (2012). Ciência enquanto processo: um caso de divulgação. Revista científica ciência em curso, 1, 17-26.

Fraga, F. B. e Rosa, R. T. D. (2015). Microbiologia na revista Ciência Hoje das Crianças. Ciência & Educação, 21, 199-218.

Foucault, M. (2009). O que é um autor? (7. ed.). Lisboa: Nova Veja.

Gonçalves, E. M. (2013). Os discursos da divulgação científica: Um estudo de revistas especializadas em divulgar ciencia para o público leigo. Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, 9, 210-227.

González, M., e Vilches, D. G. (2001). Los museos de ciencias como instrumentos de complexión sobre los problemas del planeta. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, 1, 66-69.

Gouvêa. G. (2000). A Divulgação Científica para Crianças: o caso da Ciência Hoje das Crianças. (Tese de doutorado), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Hodge, I. X., e Frison, M. D. (2016). Abordaje de Cuestiones Sociocientíficas: una alternativa para trabajar la interdisciplinariedad y vivenciar interacciones CTSA. Revista Tecné, Episteme y Didaxis, TED, 1319-1330.

John, N. M. (2016). Os desafios da docência em ciências naturais no século XXI. Tecné, Episteme y Didaxis, TED, 40, 277-309.

Macedo, M. G. (2002). Do texto ao hipertexto: argumentação e legibilidade nos discursos da divulgação científica. (Tese de Doutorado). Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo.

Magalhães, E. C. (2002). Camnhão da ciência: divulgação científica no oeste da bahia. Anais do XVI Encontro Nacional de Ensino de Química. Divisão de Ensino de Química da Sociedade Brasileira de Química (ED/SBQ), 6, 1-11.

Maldaner, A. (2007). Fundamentos e propostas de ensino de química para a Educação Basica no Brasil. Ijuí: Unijuí.

Massarani, L.A (1998). A divulgação científica no Rio de Janeiro: Algumas reflexões sobre a década de 20. (Dissertação Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Martínez, E. (1997). Reseña de “La popularización de la ciencia y la tecnología: reflexiones básicas”. Redes, 5, 186-190.

Martinez, L. F. (2014). Cuestiones sociacientíficas en la formación de profesores de ciencias: aportes y desafios. Revista Tecné, Episteme y Didaxis, TED, 36, 77-94.

Membiela, P. (2007). Sobre la deseable relacion entre comprensión pública de la ciencia y alfabetizaçion científica. Revista Tecné, Episteme y Didaxis, TED, 22, 107-112.

Palma, H. A. (2013). Algunos tópicos críticos acerca del periodismo científicoen grandes medios gráficos. El rey sigue desnudo. Revista iberoamericana de ciencia, tecnologia y sociedad, 8, 13-30.

Pastoriza, B. S. (2015) Educação química em discurso, ou sobre um modo de olhar para a prática da educação química. (tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

Queirós, W. P. e Souza, D. C. (2016). Texto de divulgação científica sobre a utilização do parque de diversões no ensino de física: uma análise sobre a concepção de licenciado em física. Revista Tecné, Episteme y Didaxis, TED, 40, 175-191.

Rodríguez, B., e Martínez, L. F. (2016). Conocimiento profesional de profesores en ejercicio al abordar cuestiones sociocientíficas. Revista Tecné, Episteme y Didaxis, TED, (ext.), 1428-1434.

Romanowski, J., e Ens, R. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educacional, 6, 37-50.

Scherer, A. S., e Motta-Roth, D. (2014). Discurso, intertextualidade e ciência na mídia de massa: o caso da popularização científica. Cenários, 2, 50-68.

Souza, D. M. (2011). Ciência para todos? A divulgação científica em museus. Ciência da Informação, 40, 256-265.

Toniazzo, G., e Rosa, C. (2012). Autoria e formas de leitura em blogs de divulgação científica. Galaxia, 24, 292-302.

Torquato, E. M. (2014). A divulgação e a popularização da ciência. Revista e-Ciência, 2, 1-4.