1B024 Piracema: subsídios para a formação continuada de professores de Ciências

  • Flora Auxiliadora Ximenes UFMS
  • Shirley Takeco Gobara UFMS
Publicado
2018-11-14

Resumen (pt)

Esse artigo apresenta os resultados do levantamento realizado sobre as percepções dos professores de Ciências da Rede Estadual de ensino da educação básica da cidade de Corumbá no Brasil sobre o fenômeno da Piracema. Trata-se da primeira parte da investigação de uma proposta de formação continuada que está sendo desenvolvida, que pretende contribuir para a ressignificação das práticas pedagógicas dos professores de Ciências ao considerarem os seus contextos históricos e culturais e de seus alunos, na qual sugere-se o uso inédito do fenômeno biológico da piracema como temática para o ensino de Ciências com base na Teoria da Objetivação de Luis Radford. Os resultados evidenciaram que os professores conhecem o fenômeno da piracema, mas não o utilizam de forma a atualizar em suas práticas pedagógicas para o ensino de Ciências e se mostraram interessados em participar da formação.

Palabras clave: ensino de ciências, conhecimento, aprendizagem, temáticas ambientais. (pt)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Ximenes, F. A., & Gobara, S. T. (2018). 1B024 Piracema: subsídios para a formação continuada de professores de Ciências. Tecné Episteme Y Didaxis: TED, (Extraordin). Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/8778
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa – Portugal. Edições: 70, 1977.
BRITSKI, H. A; SILIMON, K. Z. de S. de; LOPES, B. S. Peixes do Pantanal, manual de identificação. 2. ed. Brasília: EMBRAPA Informação Tecnológica, 2007.
CATELLA, A. C. et al. Sistemas de estatísticas pesqueiras no pantanal, brasil: aspectos técnicos e políticos. Revista Pan-Americana de Ciências Aquáticas. 2008. Nº 3:174-192. Disponível em. Acesso em: 25 fev. 2011.
GIL, Antônio C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2006. NAVARRO, E. A. Dicionário de Tupi Antigoː a Língua Indígena Clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013.
NEIMAN, Z. Era Verde? ecossistemas brasileiros ameaçados. 23. ed. São Paulo: Atual, 2009. (Meio Ambiente)
SILVA, J.S. V; ABDON, M.M. Delimitação do Pantanal brasileiro e suas sub-regiões. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.33, Número Especial, p.1703-1711, out. 1998.
RADFORD, L. De la teoría de la objetivación. Revista Latino americana de Etnomatemática, v. 7, n. 2, p.132-150, 2014.
RADFORD, L. Enseñanza y aprendizaje de las matemáticas: problemas semióticos, epistemológicos y prácticos. DIE Doctorado Interinstitucional en Educación, Énfasis matemática. Universidad Distrital Francisco José de Caldas, Bogotá. 2017.
RESENDE, E. K. de. Estratégias reprodutivas dos peixes do Pantanal. Corumbá, MS: Embrapa Pantanal, 2008. 3p. ADM – Artigo de divulgação na mídia, n.128. Disponível em:. Acesso em: 25 abr. 2011.