Psicomotricidade Relacional: estratégia pedagógica para práticas inclusivas em Educação Ambiental

  • Ângela Adriane Bersch Schmidt
  • Eliane Piske Lima
  • Andréia Juliano Costa
  • Narjara Garcia Mendes
Publicado
2017-10-13
O trabalho apresenta a Psicomotricidade Relacional como uma estratégia pedagógica de intervenção tendo como eixo a ética atrelada como proposição fundamental da Educação Ambiental. Foram participantes 32 estudantes do curso de Atendimento Educacional Especializados em uma universidade localizada no Sul do país, durante 6 encontros com duração de 4 horas cada. “Deficiente é o humano” foi um conceito construído nos discursos coletivos com o grupo. A metodologia de intervenção Psicomotricidade Relacional pode auxiliar no processo de inclusão pautado na Educação Ambiental, pois as sessões resultaram em interações entre/com os pares ao fortalecer as relações de respeito, a solidariedade, a cooperação e o auxílio através de jogos e brincadeiras.
Palabras clave: Educação Ambiental, Psicomotricidade Relacional, Práticas inclusivas, Estratégias pedagógicas. (es)
La descarga de datos todavía no está disponible.
Bersch Schmidt, Ângela A., Piske Lima, E., Juliano Costa, A., & Garcia Mendes, N. (2017). Psicomotricidade Relacional: estratégia pedagógica para práticas inclusivas em Educação Ambiental. Tecné Episteme Y Didaxis: TED. Recuperado a partir de https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/4717

BRASIL. Estatuto da Pessoa com Deficiência. (2015). Lei nº. 13.146 de jul. de 2015.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. (1996). Lei número 9394, 20 de dez. de 1996.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (1994). Declaração de Salamanca: I Brasília: UNESCO.

BOFF, L. (2012). O cuidado necessário: na vida, na saúde, na educação, na ecologia, na ética e na espiritualidade. Petrópolis, RJ: Vozes. LOUREIRO, C. F. B. (2007). Educação Ambiental Crítica: contribuições e desafios. In: MEC/MMA. Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola, Brasília: p.65-72.

NEGRINE, A. S.(2002). O corpo na educação infantil. Caxias do Sul: EDUCS.

OLIVER M, BARNES C. (2011). The New Politics of Disablement, 2nd .Tavistock: Palgrave. SANTOS, M. (2008). Da Totalidade ao Lugar. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

SAUVÉ, L. (2005). Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322, maio/ago.

VIEIRA, J. l; BATISTA, M. I. B.; LAPIERRE, A. (2005). Psicomotricidade Relacional: A Teoria de uma Prática. Curtiba: UFPR.

Artículos más leídos del mismo autor/a