Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)

Early Childhood Education in Portugal: Discourses, Projects and Practices (1834 -1974)

Educación de la primera infancia en Portugal: discursos, proyectos y prácticas (1834-1974)

Publicado
2021-06-09

Este documento es un resumen de los caminos de la educación de la primera infancia en Portugal, durante 150 años, entre 1834 y el final del Estado Novo, en abril de 1974. Su objetivo es producir una lectura de la evolución del pensamiento y la acción sobre el cuidado y la educación de los niños. Se centra en el análisis del discurso oficial, el pensamiento y el debate pedagógico, así como su realización. El corpus documental consiste en la producción legislativa y una colección de textos sobre educación de la primera infancia, compilados en la prensa pedagógica. Estas fuentes ofrecen una aproximación a las ideas, propuestas, proyectos e iniciativas que, ya sea a través del estado o encarnadas por la sociedad civil, se han esbozado, estirado o materializado en el largo período de construcción de la modernidad en Portugal. Al someterlas al método crítico y al análisis de contenido, su escrutinio nos permitió observar que la difusión de ideas y la implementación de políticas e instituciones educativas para este grupo de edad, profundamente marcada por las condiciones materiales y simbólicas de la formación social portuguesa, fue lenta y marcada por dificultades. En gran medida, la expresión del locus nacional tradujo una apropiación de teorías y prácticas internacionales.

Palabras clave: educação de infância, jardim de infância, política educativa, modernidade (pt)
child, childhood, early childhood education, nursery school, educational policy (en)
niño, infancia, educación de la primera infancia, escuela de párvulos, política de la educación (es)
António Gomes Ferreira, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra/ Grupo de Políticas e Organizações Educativas e Dinâmicas Educacionais, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra

 Licenciatura em História, pela Universidade de Coimbra; Doutoramento em Ciências da Educação, pela Universidade de Coimbra. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra/ Grupo de Políticas e Organizações Educativas e Dinâmicas Educacionais, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra

 

 

Luís Mota, Instituto Politécnico de Coimbra, Escola Superior de Educação | GRUPOEDE, CEIS20, UC

Doutoramento em História da Cultura, pela Universidade de Coimbra. Instituto Politécnico de Coimbra, Escola Superior de Educação/ Grupo de Políticas e Organizações Educativas e Dinâmicas Educacionais, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra

 

 

Carla Vilhena, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve

Doutoramento em Ciências da Educação, pela Universidade Nova de Lisboa. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve/ Grupo de Políticas e Organizações Educativas e Dinâmicas Educacionais, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra

 

Beatty, B. (1995). Preschool education in America: The culture of young children from the colonial era to the present. New Haven: Yale University Press.
Beatty, B., Cahan, E. D., & Grant, J. (Eds.) (2006). When science encounters the child: Education, parenting, and child welfare in 20th-century America. New York: Teachers College Press.
Bérrio, M. C. (1947). A situação da mulher portuguesa vista por uma dona de casa e mãe. Os Nossos Filhos, 3(67), 24.
Boto, C. (2001). A civilização escolar como projeto político e pedagógico da modernidade: Cultura em classes, por escrito. Cadernos CEDES, 23(61), 378-397.
Branco, G. C. (1943). A assistência às crianças: Fala o sr. dr. Bissaya Barreto acerca da obra que se propõe realizar, o futuro Instituto Maternal. A Saúde, XIII(301/302), 2-3.
Brehony, K. (2009). Transforming theories of childhood and early childhood education: Child study and the empirical assault on Froebelian rationalism. Paedagogica Historica, 45(4/5), 585-604.
Candeias, A. (2006). Inovação, rutura e continuidade na 1ª República: Um balanço crítico sobre a educação. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, 18, 211-231.
Cardona, M. J. (1997). Para a história da educação de infância em Portugal: O discurso oficial (1834-1990). Porto: Porto Editora.
Cardoso Jr. (1922). Ensino infantil. Revista Escolar, 2(11), 305-306.
Costa, A. (1870). A instrução nacional. Lisboa: Imprensa Nacional
Cunningham, H. (1995). Children and childhood in western society since 1500. Singapore: Pearson Education.
Deus, M. L. (1958). A criança e a escola. A Criança Portuguesa, XVII(2), 803-807.
Dombkowski, K. (2001). Will the real kindergarten please stand up?: Defining and redefining the twentieth-century US kindergarten. History of Education, 30(6), 527-545.
Eunes, G. (1904). Palestra higiénica: Os amigos das crianças: A escola. Revista Pedagógica, I(15), 229-232.
Fernandes, R. (2004). Roturas e permanências da educação portuguesa no século XIX. História da Educação, 15, 7–27.
Ferreira, A. G. (2000). Gerar, criar, educar: A criança no Portugal do Antigo Regime. Coimbra: Quarteto.
Ferreira, A. G. (2014). A criança e a pedologia no contexto da 1ª República. In A. Mourão, & A. C. Gomes (Eds.), A experiência da Primeira República no Brasil e em Portugal. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra.
Ferreira, A. G., & Gondra, J. (2006). Idades da vida, infância e a racionalidade médico-higiênica em Portugal e no Brasil (séculos 17-19). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 87(216), 119–134.
Ferreira, A. G., & Mota, L. (2012). Memória e história: Das fontes documentais aos testemunhos orais no projeto das Casas da Criança. Comunicação apresentada no II Foro Ibérico de Museísmo Pedagógico, V Jornadas Científicas de la SEPHE.
Ferreira, A. G., & Mota, L. (2018). “Cada Casa da Criança que se abre, corresponde a uma enfermaria que se fecha”: Gerar, criar e educar no Estado Novo. Sarmiento. Revista Galego-Portuguesa de Historia da Educación, 22, 133-152.
Ferreira, T. (1882). Escolas infantis ou jardins de Froebel: Apontamentos para a sua história em Portugal. Froebel, I(1), 2-3.
Froebel e os jardins de infância (1885). O Ensino, III(9), 135-140.
Gomes, J. F. (1977). A educação infantil em Portugal. Coimbra: Almedina.
Hendrick, H. (1997). Constructions and reconstructions of British childhood: An interpretative survey, 1800 to the the present. In A. James & A. Prout (Eds.), Constructing and reconstructing childhood (pp. 34-62). London: Falmer Press.
Hofstetter, R. (2012). Le transformation de l’enfant en écolier (du 19e au milieu du 20e siècle): Les “eurêkas” des sciences de l’homme naissantes, entre scientisme et romantisme: un “naturalisme” de l’enfance. Paedagogica Historica, 48(1), 31-50.
Lima, A. (1924). Educação pré-escolar. Educação Social, I(13/14), 246-254.
Lisboa, I., & Moreira, I. (1926). Vida escolar de crianças de cinco anos e meio a sete. Revista Escolar, 4, 278-283.
Lopes, M. A. (1993). Os pobres e a assistência pública. In J. Mattoso (Series Ed.) & L. R. Torgal & J. Roque (Vol. Eds.), História de Portugal: Vol. 5. O Liberalismo (pp. 501 - 515). Lisboa: Círculo de Leitores.
Losa, I. (1949). Parques infantis. Os Nossos Filhos, 4(83), 6.
Luc, J. N. (1997). L’invention du jeune enfant au XIX siècle: De la salle d’asile à l’école maternelle. Paris: Belin.
Mais um ano que passa… Mais um ano que vem… (1943). A Saúde, XII (289 a 300), 1-24.
Menezes, H. T. (1882). Sem título. Froebel, I(1), 3.
Moreira, M. V. (1941). Dispensários de Puericultura: Da sua finalidade e construção. Revista Portuguesa de Pediatria e Puericultura, IV(5), 210-229.
Nery, A. C. B. (2006). Periódicos educacionais portugueses: Circulação e apropriação de modelos culturais. Cadernos de História da Educação, 5, 73-82.
Noticiário: ‘Lar dos Pequeninos’ (1941). Revista Portuguesa de Pediatria e Puericultura, IV(4), 188-189.
Nóvoa, A. (2005). Evidentemente: Histórias da educação. Porto: Edições ASA.
Obra das Mães pela Educação Nacional (1938). Orientação e fins. Lisboa: Ministério da Educação Nacional.
Os amigos das crianças: A creche de Pedro Folque (1945). Os Nossos Filhos, 2(33), 13.
Passos, H. (1921). Plano de reforma do ensino público na província de Moçambique. Revista Escolar, 9, 263-270.
Pimentel, I. F. (1999). A assistência social e familiar do Estado Novo nos anos 30 e 40. Análise Social, XXXIV(151/152), 477-508.
Raposo, S. (1882). Os jardins d’infância de Froebel. Froebel, I(1), 4-6.
Read, J. (2013). Bringing Froebel into London’s infant schools: The reforming practice of two head teachers, Elizabeth Shaw and Frances Roe, from the 1890s to the 1930s. History of Education, 42(6), 745-764.
Revista Estrangeira (1887). O Ensino, III(9), 135-140.
Sampaio, S. (1968). O ensino infantil em Portugal. Boletim Bibliográfico e Informativo do Centro de Investigação Pedagógica da Fundação Calouste Gulbenkian, 8, 76-105.
Santana, H. (1924). Algumas notas para a história das escolas infantis do Porto. Educação Social, I(13/14), 244-245.
Santos, M. T. (s.d.). Ensino pré-primário (P.S.E. 1): Relatório crítico. Manuscrito não publicado.
Santos, M. T. (1953). Escolas infantis. Os Nossos Filhos, 6(129), 9.
Serpa, M. P. B. (1913). Escola infantil. Revista Pedagógica, 244, 1-2.
Sessão n.º 145 da Assembleia Nacional (1937, novembro 25). Diário das Sessões. Lisboa: Assembleia Nacional.
Simão, V. (1971). O seu inalienável direito à educação. Educação. Boletim do Gabinete de Estudos e Planeamento, 7, 4-18.
Sousa, C. S. (1939). Necessidades e deficiências da assistência infantil. Revista Portuguesa de Pediatria e Puericultura, II(5), 221-242.
Souto, A. M. (1933). Assistência infantil – Creches. Brotéria, XVI(1), 37-42.
Teodoro, A. (2001). A construção política da educação: Estado, mudança social e políticas educativas no Portugal contemporâneo. Porto: Afrontamento.
White, L. A. (2002). Ideas and the welfare state: Explaining child care policy development in Canada and the United States. Comparative Political Studies, 35(6), 713-743.
Whitescarver, J., & Cossentino, J. (2008). Montessori and the mainstream: A century of reform on the margins. The Teachers College Record, 110(12), 2571-2600.
Wollons, R. (Ed.) (2000). Kindergarten & cultures: The global diffusion of an idea. New Haven: Yale University Press.
Vasconcelos, F. de (1924). Bases para a criação de um Jardim de Infância (tipo municipal). Educação Nova, I(2), 2-3.
Vasconcelos, J. M. (1853). Coleção oficial da legislação portuguesa: Ano de 1852. Lisboa: Imprensa Nacional.
Vilarinho, E. (2000). Políticas de Educação Pré-Escolar em Portugal (1977-1997). Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.
Vilhena, C. (2010). A educação para a maternidade nas revistas de educação familiar no último meio século (Tese de doutoramento não publicada). Lisboa: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Nova de Lisboa.

APA

Gomes Ferreira, A., Mota, L., & Vilhena, C. (2021). Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974). Revista Colombiana de Educación, 1(82). https://doi.org/10.17227/rce.num82-10812

ACM

[1]
Gomes Ferreira, A., Mota, L. y Vilhena, C. 2021. Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974). Revista Colombiana de Educación. 1, 82 (jun. 2021). DOI:https://doi.org/10.17227/rce.num82-10812.

ACS

(1)
Gomes Ferreira, A.; Mota, L.; Vilhena, C. Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974). Rev. Colomb. Educ. 2021, 1.

ABNT

GOMES FERREIRA, A.; MOTA, L.; VILHENA, C. Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974). Revista Colombiana de Educación, [S. l.], v. 1, n. 82, 2021. DOI: 10.17227/rce.num82-10812. Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/RCE/article/view/10812. Acesso em: 24 sep. 2021.

Chicago

Gomes Ferreira, António, Luís Mota, y Carla Vilhena. 2021. «Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)». Revista Colombiana de Educación 1 (82). https://doi.org/10.17227/rce.num82-10812.

Harvard

Gomes Ferreira, A., Mota, L. y Vilhena, C. (2021) «Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)», Revista Colombiana de Educación, 1(82). doi: 10.17227/rce.num82-10812.

IEEE

[1]
A. Gomes Ferreira, L. Mota, y C. Vilhena, «Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)», Rev. Colomb. Educ., vol. 1, n.º 82, jun. 2021.

MLA

Gomes Ferreira, A., L. Mota, y C. Vilhena. «Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)». Revista Colombiana de Educación, vol. 1, n.º 82, junio de 2021, doi:10.17227/rce.num82-10812.

Turabian

Gomes Ferreira, António, Luís Mota, y Carla Vilhena. «Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974)». Revista Colombiana de Educación 1, no. 82 (junio 9, 2021). Accedido septiembre 24, 2021. https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/RCE/article/view/10812.

Vancouver

1.
Gomes Ferreira A, Mota L, Vilhena C. Educação de infância em Portugal: discursos, projetos e práticas (1834 -1974). Rev. Colomb. Educ. [Internet]. 9 de junio de 2021 [citado 24 de septiembre de 2021];1(82). Disponible en: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/RCE/article/view/10812

Descargar cita

Citaciones

Crossref Cited-by logo
0

Métricas PlumX

Visitas

194

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.