8A003 Interfaces entre a teoria da Aprendizagem Significativa Crítica e Gênero no Ensino de Ciências

  • Teixeira Marcela Godoy Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Bettina Heerdt Universidade Estadual de Ponta Grossa

Resumen

O trabalho apresenta algumas reflexões relacionadas às possíveis interfaces entre a teoria da Aprendizagem Significativa Crítica e Gênero no Ensino de Ciências que se originaram das discussões na disciplina de Gênero e Aprendizagem Significativa no Ensino de Ciências ministrada em um Programa de Pós Graduação em Educação no Brasil. A aprendizagem significativa enquanto abordagem permeou o planejamento, execução e avaliação da referida disciplina e subsidiou as discussões acerca da temática Gênero na Ciência e no Ensino de Ciências. A união de ambas as dimensões para o desenvolvimento de uma estratégia de ensino pode potencializar a compreensão de aspectos éticos e científicos nas pesquisas em Ensino de Ciências em nível de pós-graduação.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Anderson, E. (2011). Feminist Epistemology and Philosophy of Science. In: Edward N. (Ed.) Zalta. The Stanford Encyclopedia of Philosophy. Recuperado de http://plato.stanford.edu/archives/spr2011/entries/feminism-epistemology/
Carvalho, A. M. P. de; Gil Perez, D. (1993) Formação de professores de Ciências: Tendências e Inovações. São Paulo: Cortez,.
Fausto-Sterling, A. (2000). Sexing the Body: Gender Politics and the Construction of Sexuality. New York: Basic Books. Recuperado de https://libcom.org/files/Fausto-Sterling%20-%20Sexing%20the%20Body.pdf.
Harding, S. (2010). Gender, Democracy, and philosophy of science. The Pantaneto Forum, 38. Recuperado de http://www.pantaneto.co.uk/issue38/harding.htm.
Haraway, D. (1992). The Promise of Monsters: A Regenerative Politics for Inappropriate/d Others. Cultural Studies (eds) Lawrence Grossberg. Recuperado de http://www.paas.org.pl/wp-content/uploads/2014/07/haraway_Promises_of_Monsters.pdf
Heerdt, B. (2014). Saberes docentes: Gênero, Natureza da Ciência e Educação Científica. (Tese de doutorado, Universidade Estadual de Londrina, Londrina). Recuperado de http://www.uel.br/pos/mecem/arquivos_pdf/HEERDT%20Bettina.pdf.
Keller, E. F. (2006). Qual foi o impacto do feminismo na ciência? Tradução de Maria Luiza Lara. Cadernos Pagu, 27, julho-dezembro, 13-34. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cpa/n27/32137.pdf.
Labudde, Peter, Herzog W., Neuenschwander M. P., Violi E., Gerber C. (2000). Girls and physics: teaching and learning strategies tested by classroom interventions in grade 11. International Journal of Science Education, 22(2), 143-157. doi https://doi.org/10.1080/095006900289921
Lederman, N. G., & Abd-El-Khalick, F. (1998). Avoiding De-Natured Science: Activities That Promote Understandings of the Nature of Science. In W. F. MCCOMAS (Ed). The nature of science in science education: Rationales and strategies (83–126). Dordrecht, The Netherlands: Kluwer Academic Publishers. Recuperado de http://web.missouri.edu/~hanuscind/8710/AvoidingDeNaturedScience.pdf.
Lemos, E. dos S. (2011). Teoria da aprendizagem significativa e sua relação com o ensino e com a pesquisa sobre o ensino. Aprendizagem Significativa em Revista. 1(3), 47-52. Recuperado de http://www.if.ufrgs.br/asr/artigos/Artigo_ID17/v1_n3_a2011.pdf
Longino, H. & Doell, R. (1983). Body, Bias, and Behavior: A Comparative Analysis of Reasoning in Two Areas of Biological Science. Signs, 9(2), 206-227. doi: 10.1086/494044.
Louro, G. L. (2008) Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, v. 19, (2).
Moreira, M.A. (2000) Aprendizagem significativa crítica. In: Atas do III Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa. Portugal. Recuperado de https://www.if.ufrgs.br/~moreira/apsigcritport.pdf
___________. (2009). Subsídio teórico para o professor pesquisador em ensino de ciências: a teoria da aprendizagem significativa. Porto Alegre: Instituto de Física UFRGS. Recuperado de http://www.if.ufrgs.br/~moreira/Subsidios6.pdf Acesso em 20/08/2015.
Osborne, J. et al. (2003). What “ideas-about-science” should be taught in school science? A Delphi study of the expert community. Journal of Research in Science Teaching, 40(7), 692–720. doi: 10.1002/tea.10105.
Priberam. (2015). Dicionário de Língua Portuguesa. Recuperado de www.priberam.pt/DLPO/ .
Postman, N.; Weingartner, C. (1971). Teaching as a Subversive Activity. Great Britain: Penguin Books.
Schiebinger, L. (2001). O feminismo mudou a ciência? Bauru: Edusc.
Tindall, T.; Hamil, D. B. (2004). Gender disparity in science education: the causes, consequences and solutions. Education, v. 125, n. 2, p. 282-295.
Publicado
2018-11-22
Cómo citar
Godoy, T. M., & Heerdt, B. (2018). 8A003 Interfaces entre a teoria da Aprendizagem Significativa Crítica e Gênero no Ensino de Ciências. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin), 1-6. Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/9146