7B046 Concepções iniciais de alunos do ensino médio sobre educação ambiental em aulas de química

  • Moises Marques Prsybyciem Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Rosemari Monteiro Castilho Fog Silveira Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
  • Rejane Fernandes da Silva Vier Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
  • Almir Paulo dos Santos Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Resumen

 

Este artigo tem o objetivo de apresentar os resultados de um estudo sobre as concepções iniciais de Educação Ambiental (EA) em aulas de Química, dos alunos do 1º e 2º anos do ensino médio de uma escola da rede estadual de ensino do estado do Paraná, Brasil. A metodologia utilizada teve abordagem qualitativa de natureza interpretativa. Foi utilizado como instrumento de coleta de dados um questionário que foi aplicado aos 25 alunos. Os resultados evidenciaram que grande parte dos alunos possui interesse em discutir aspectos relacionados às questões ambientais, ressaltando-se a necessidade de flexibilização curricular para estruturação do conteúdo de química a partir de temas sociais/ambientais e de forma interdisciplinar. Assim, como o importante papel da escola na formação do indivíduo para as questões ambientais e consequentemente as transformações sociais.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Bardin, L. (1991). Análise de Conteúdo. Trad.: Reto, L.A. e Pinheiro, A. Primeira Edição. Lisboa: Edições 10.

Bybee, R. W. (1987). Science education and the science-technology-society (STS) theme. Science Educacion, 71(5), 667-683.

Brasil. (2006). Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio de Química (PCN).Brasília, Distrito Federal: MEC/SEB.

Brasil. Lei nº 9.795 .(1999). Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br

Dias, G. F. (2002).Iniciação à temática ambiental. São Paulo: Global.

Lisboa, C. P.,& Kindel, E. A. I. (2012). Educação ambiental da teoria à prática. Porto Alegre: Mediação.

Moreira, H.,& Caleffe, L. G. (2008). Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: Lamparina.

Paraná, Secretaria de Estado da Educação. (2008). Diretrizes Curriculares de Educação Básica: Química. Curitiba: Imprensa Oficial.

Prsybyciem, M. M.(2015). A experimentação investigativa em um enfoque CTS no ensino das funções químicas inorgânicas de ácidos e óxidos na temática ambiental. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciência e Tecnologia) Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa.

Ramsey, J. (1993). The science education reform movement: implications for social responsibility. Science Education, 77(2), 235-258. Recuperado de: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/sce.3730770210/abstract

Reigota, M. (2006). O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense.

Santos, W. L. P., & Mól, G. S. (2003). Química & Sociedade: a ciência, os materiais e o lixo. São Paulo: Editora Nova Geração.
Publicado
2018-11-22
Cómo citar
Prsybyciem, M. M., Silveira, R. M. C. F., Vier, R. F. da S., & Santos, A. P. dos. (2018). 7B046 Concepções iniciais de alunos do ensino médio sobre educação ambiental em aulas de química. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin), 1-7. Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/9138