6A011 Reflexões articulantes entre saberes docentes de Maurice Tardif e formação docente em sexualidade e diversidade sexual

Cristiano Figueiredo Dos Santos
Joelma Dos Santos Garcia Delgado
Vera de Mattos Machado

Essa reflexão se propõe a realizar uma articulação entre as ideias de Maurice Tardif sobre os saberes docentes e as temáticas de sexualidade e diversidade sexual na formação profissional para a docência, especialmente para as ciências biológicas. Cada um dos saberes docentes propostos por Maurice Tardif é explorado a partir de análises que consideraram resultados de trabalhos que investigaram ou discutiram o tema e também reflexões próprias que consideramos pertinente compartilhar.

Santos, C. F. D., Delgado, J. D. S. G., & Machado, V. de M. (2018). 6A011 Reflexões articulantes entre saberes docentes de Maurice Tardif e formação docente em sexualidade e diversidade sexual. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin), 1-6. Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/9063
ALTMANN, H. 2013. Diversidade sexual e educação: desafios para a formação docente. Sexualidad, Salud y Sociedad – Revista Latinoamericana (13). 69-82.
JUNQUEIRA, R. D. (2009). Diversidade sexual e homofobia: a escola tem tudo a ver com isso. En: C. XAVIER FILHA (org). Educação para sexualidade, para a equidade de gênero e para a diversidade sexual. (pp. 112-142). Campo Grande, Brasil: Editora UFMS.
LOURO, G. L. (2000). Currículo, Género e Sexualidade. Porto, Portugal. Porto Editora.
LOURO, G. L. 2011. Educação e docência: diversidade, gênero e sexualidade. Formação Docente, 03(04). 62-70.
OLIVEIRA, R. R., BRANCALEONI, A. P. L. y SOUZA, T. N. 2013. Formação de professores para o trabalho com o tema sexualidade no cotidiano escolar. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, 8(2). 34-49.
PRADO, V. M. y RIBEIRO, A. I. M. 2015. Homofobia e educação sexual na escola, percepção de homossexuais no ensino médio. Retratos da Escola, 9(16). 137-152.
RIOS, R. R. y SANTOS, W. R. 2008. Diversidade sexual, educação e sociedade: reflexões a partir do Programa Nacional do Livro Didático. Revista Psicologia Política, 8. 325-344.
ROSELLI-CRUZ, A. 2011. Homossexualidade, homofobia e a agressividade do palavrão. Seu uso na educação sexual escolar. Educar em Revista, (39). 73-85.
ROSSI, C. R., VILARONGA, C. A., GARCIA, O. A. y LIMA, M. T. O. 2012. Gênero e diversidade na escola: reflexões acerca da formação continuada sobre assuntos da diversidade sexual. Contexto & Educação, (88). 6-34.
SILVA, R. C. P. y NETO, J. M. 2006. Formação de professores e educadores para abordagem da educação sexual na escola: o que mostram as pesquisas. Ciência & Educação, 12 (2). 185-197.
SOUZA, L. C. y DINIS, N. F. 2010. Discursos sobre homossexualidade e gênero na formação docente em biologia. Pro-Posições, 21(3). 119-134.
TARDIF, M. 2000. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, (13). 5-24.
TARDIF, M. 2000. O trabalho docente, a pedagogia e o ensino: interações humanas, tecnologias e dilemas. Cadernos de Educação, (16). 15-47.
TARDIF, M. (2007). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, Brasil. Vozes.
TARDIF, M. y RAYMOND, D. 2000. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, (73). 209-244.
UNESCO. (2013). Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Respostas do Setor de Educação ao bullying homofóbico. Brasília, Brasil. UNESCO.
XAVIER FILHA, C. 2017. Tecer e entretecer a vida: educação para as sexualidades e gêneros na formação docente. Intermeio, 23 (46). 215-236.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Article Details