2B050 Alternate Reality Game (ARG) como estratégia de ensino e aprendizagem da Química

  • Aline Chechi Universidade Federal da Integração Latino-Americana
  • Maria das Graças Cleophas Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Resumen

A educação científica busca continuadamente novas metodologias que possam facilitar o processo de ensino e aprendizagem. Dessa forma, trazemos o Alternate Reality Game (ARG) como sugestão viável para o ensino de química, uma vez que este jogo apresenta algumas características que são fundamentais para a educação científica do século XXI, tais como, motivação, engajamento, criatividade, resolução de problemas, alto grau de imersão, da colaboração e cooperação. Há várias formas para elaborar um ARG, contudo, uma narrativa deve ser elaborada para conter os conteúdos pedagógicos que farão parte do jogo. O ARG elaborado foi aplicado a 32 discentes em formação inicial em ciências da natureza. Os resultados desse trabalho apontam para uma boa aceitação do jogo por parte dos alunos, manifestações de habilidade e competências, aquisição de múltiplos letramentos, etc.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Alves, L. R. G., Minho, M.R. da S., & Diniz, M. V. C. (2014). Gamificação: Diálogos com a Educação. In. L. M. Fadel., V. R. Ulbricht., C. R. Batista., & Vanzin T (Orgs.), Gamificação na Educação (p. 74-97). São Paulo, SP: Pimenta Cultural.
Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.
Cleophas, M. G., Cavalcanti, E. L. D., Souza, F. N. de., & Leão, M. B. C. (2014). Alternate Reality Game (ARG): Uma Proposta Didática para o Ensino de Química. Revista Tecnologias na Educação, 6(11), p. 1-14.
Costa, R. (2005). Por um novo Conceito de Comunidade: Redes Sociais, Comunidades Pessoais, Inteligência Coletiva. Comunic, Saúde, Educ, 9(17), p. 235-248.
Frau-Meigs, D. (2012). Transliteracy as the New Research Horizon for Media and Information Literacy. Meduske Studije, 3(6), p. 14-27.
HOLMNER, M., & BEER, K. D. (2013). The design of an alternate reality game as capstone course in a multimedia post-graduate degree. In: Proceedings of the 34th IATUL Conference, pp. 32-40. Purdue University; Hu, X., Zhang, H., & Ma Rhea, Z. (2016). Alternate reality game in education: A literature review. In M. Baguley (Ed.), AARE 2016: Transforming educational research: Proceedings of the Conference for the Australian Association for Research in Education: Transforming Education Research (p. 1-16). Australian Association for Research in Education.
Rodríguez, N. L., & Jareda, M. E. M. (2016). Juegos de Realidad Alternativa para la Educación Civica. Elementos de Diseño: Narrativa, Juego y Discurso. Revista de Comunicación y Ciudadanía Digital, 5(2), p.177-202.
Jenkins, H. (2009). Cultura da Convergência. São Paulo, SP: Aleph.
Jones, B. F., Valdez, G., Nowakowski, J., & Rausmussen, C. (1994). Designing Learning and Technology for Educational Reform. Oak Brook, USA: NCREL.
McGonigal, J. (2012). A Realidade em Jogo. Rio de Janeiro, RJ: Best Seller.
Piñeiro-Otero, T., & Costa-Sánchez, C. (2015). ARG (Juego de Realidad Alternativa). Contribuciones, Limitaciones y potencialidades para la Docencia Universitaria. Comunicar, 22(44), p. 141-148.
Sakai, M. H., & Lima, G. Z. (1996). PBL: uma visão geral do método. Olho Mágico, 2(5/6).
Scolari, C. A. (2016). Estrategias de Aprendizaje Informal y Competencias Mediáticas en la Nueva Ecología de la Comunicación. Revista TELOS, p. 1-9.
Publicado
2018-11-15
Cómo citar
Chechi, A., & Cleophas, M. das G. (2018). 2B050 Alternate Reality Game (ARG) como estratégia de ensino e aprendizagem da Química. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin). Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/8934