1B109 Formação e trabalho coletivo interdisciplinar: perspectivas de licenciandos e professores de Ciências e Geografia

  • Maria Cristina Ferreira dos Santos Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Caio Roberto Siqueira Lamego Secretaria Municipal de Educação de Itaboraí e da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro, Brasil

Resumen

As atuais Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação docente no Brasil têm como princípios a formação teórica e interdisciplinar, a unidade teoria-prática, o trabalho coletivo e interdisciplinar e a valorização do profissional da educação. Esse estudo teve o objetivo de investigar sentidos atribuídos por licenciandos e professores de Ciências da Natureza e Geografia à formação interdisciplinar, ao trabalho coletivo e à valorização do professor. A pesquisa foi qualitativa e do tipo análise documental. Foi realizada a análise textual discursiva, utilizando como fontes relatórios e outros textos produzidos por professores e licenciandos. Apontam-se nas narrativas a valorização do professor e a perspectiva interdisciplinar na formação e no trabalho coletivo, potencializando a construção de sociedades sustentáveis.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Brasil (2015) Resolução Nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada.
Brasil (2014). Plano Nacional de Educação 2014-2024 Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara.
Centa, F. G. & Muenchen, C. (2018) O trabalho coletivo e interdisciplinar em uma reorientação curricular na perspectiva da Abordagem Temática Freireana.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 17(1): 68-93.
Fazenda, I.C.A. (2013) Interdisciplinaridade: definição, projeto e pesquisa. In: FAZENDA, I.C.A. (Org.). Práticas interdisciplinares na escola. 13ª ed. São Paulo: Cortez, p. 17-22.
Fazenda, I.C.A. (2018) O que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez.
Japiassu, H. (1976) Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago.
Klein, J.T. (2008) Ensino interdisciplinar: didática e teoria. In: Fazenda, I.C.A. (Org.). Didática e interdisciplinaridade. 13ª ed. São Paulo: Papirus, p.109-132.
Moraes, R. & Galiazzi, M. C. (2016) Análise Textual discursiva. 3ª ed. Ijuí: Ed. Unijuí.
Pierson, A.H.C. & Neves, M.R. (2001) Interdisciplinaridade na formação de professores de Ciências: conhecendo obstáculos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 1 (2): 120-131.
Piolli, E. (2015) A valorização docente na perspectiva do Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024. Cad. Cedes, Campinas, 35 (97); 483-491.
Shaw, G.S.L.; Rocha, J.B.T. & Folmer, V. (2017) Uma revisão sobre interdisciplinaridade no ensino e na formação de professores. Revista Ciências & Ideias, 8 (1). 202-226.
Vidigal, A.R. (2014) Trabalho crítico. In: Fazenda, I.C.A. (Org.). Interdisciplinaridade: pensar, pesquisar e intervir. São Paulo: Cortez, p. 246-250.
Publicado
2018-11-15
Cómo citar
Santos, M. C. F. dos, & Lamego, C. R. S. (2018). 1B109 Formação e trabalho coletivo interdisciplinar: perspectivas de licenciandos e professores de Ciências e Geografia. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin). Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/8865