1B107 Educação Alimentar e Nutricional: Uma estratégia de Promoção da Saúde articulada ao Ensino de Ciências

Cristiane Tarine Müller Girotto
Aline Bernard
Eva Teresinha de Oliveira Boff

O estudo teve por objetivo propor e analisar um processo de interação entre nutricionista, professor e aluno ao desenvolver Educação Alimentar e Nutricional - EAN articulada ao ensino de ciências. A pesquisa é qualitativa, com delineamento descritivo e transversal, com participação de uma nutricionista, 26 estudantes e uma professora da disciplina de Ciências do Ensino Fundamental de uma escola pública. Os argumentos de Moraes e Galiazzi (2007) sobre análise textual discursiva fundamentaram a análise dos dados. Os resultados mostram que a interação entre os sujeitos da pesquisa contribuiu para reflexão dos hábitos alimentares dos estudantes e para significação dos conceitos de ciências. A construção da pirâmide alimentar pelos estudantes, se constituiu em atividade de reflexão e empoderamento para melhor tomada de decisão sobre sua saúde e qualidade de vida.

Girotto, C. T. M., Bernard, A., & Boff, E. T. de O. (2018). 1B107 Educação Alimentar e Nutricional: Uma estratégia de Promoção da Saúde articulada ao Ensino de Ciências. Tecné Episteme Y Didaxis TED, (Extraordin). Recuperado a partir de http://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/TED/article/view/8863
BOFF, E. T. O. (2011). Processo interativo: uma possibilidade de produção de um currículo integrado e constituição de um docente pesquisador – autor e ator – de seu fazer cotidiano escolar. Tese (Doutorado), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Porto Alegre.
BRASIL. Associação Nacional de Vigilância Sanitária. (2010). Perfil nutricional dos alimentos processados: programa exploratório [Informe Técnico nº 42/2010]. Brasília.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais. Brasília.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. (2012). Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília.
LEFEVRE, F.; LEFEVRE, A. M. C. (2004). Promoção de saúde: a negação da negação. Rio de Janeiro: Vieira e Lent.
MAGALHÃES, A. P. A.; Martins, K. C.; Castro, T. G. (2012). Educação alimentar e nutricional crítica: reflexões para intervenções em alimentação e nutrição na atenção primária à saúde reme – Rev. Min. Enferm.;16(3): 463-470.
MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. (2007). Análise textual discursiva. Ijuí: Ed. UNIJUÍ. PIPITONE, M. A. P. et al., (2003). A educação nutricional no programa de Ciências para o Ensino Fundamental. Saúde Rev., Piracicaba, 5(9):29-37. SCARPARO, A. L. S.; MARQUES, T. B. I.; DEL PINO, J. C. (2016) Ensino da temática Alimentação Saudável no Ambiente Escolar. In: BOFF, Eva Teresinha de Oliveira; BUSNELLO, Maristela Borin. Educação para a saúde: Diálogos nos diferentes cenários de práticas educativas. Ijuí, Ed. Unijuí.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Article Details

Artículos más leídos del mismo autor