Aportes de la etnografía educativa al estudio de minorías/mayorías

Belmira Oliveira Bueno
Flavia Medeiros Sarti
Eliana Scaravelli Arnoldi

El artículo analiza el problema de las minorías/mayorías en el campo del magisterio a partir de los resultados de tres estudios etnográficos desarrollados en el contexto de un programa especial dirigido a profesores del estado de Sao Paulo (Brasil), entre 2001 y 2008. Diversos autores fueron la base de estos estudios: Rockwell, Bourdieu, De Certau, Chartier y Lahire. Considerando a los profesores como un tipo de cross-borders culturales, el artículo discute sus modos de leer y de apropiarse de textos académico-educativos y los límites que el tipo de formación que les fue ofrecida en el ámbito del referido programa impone para cambios más efectivos en sus habitus profesionales. El artículo concluye que, a pesar de las inversiones en formación continua realizados en las últimas décadas en el país, sus profesores siguen en una situación de fuerte vulnerabilidad social, que sólo podrá ser revertida si se adoptan políticas de valorización profesional más consistentes.

Oliveira Bueno, B., Medeiros Sarti, F., & Scaravelli Arnoldi, E. (2018). Aportes de la etnografía educativa al estudio de minorías/mayorías. Pedagogía Y Saberes, (49), 151.163. https://doi.org/10.17227/pys.num49-8177
Arnoldi, E. (2014). Leitura e escrita de professores: socialização e práticas profissionais. Dissertação de Mestrado em Educação. Faculdade de Educação–Universidade de São Paulo. São Paulo.

Arnoldi, E., e Bueno, B. (2014). Leitura e escrita de professores: socialização e práticas profissionais. Em J. T. Lopes; B. P. Melo; M. Ferreira; A. Diogo; e E. Gomes. (Orgs.) Entre a crise e a euforia: práticas e políticas educativas no Brasil e em Portugal. (pp. 93-118). Porto: Universidade do Porto.

Azanha, J. (1998). Comentários sobre a formação de professores em São Paulo. Em: R. V. Serbino; R. M. Ribeiro; e L. B. R. Gebran. (Orgs.) Formação de professores. São Paulo: Unesp.

Bocchetti, A. e Bueno, B. (2012). Um professor (sempre) a formar: o governo das subjetividades em programas especiais de formação. Currículo sem Fronteiras, 2, 376-392.

Bourdieu, P. (1979). Les trois états du capital culturel. Actes de la recherche en sciences sociales, 30, 3-6.

Bourdieu, P. (1983). Gostos de classe e estilos de vida. Em R. Ortiz. Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática.

Bourdieu, P. (1998). La domination masculine. Paris: Seuil.

Brandão, Z. e Altman, H. (2005). Algumas hipóteses sobre a transformação dos habitus. Boletim soced. Rio de Janeiro, n. 1, p. 1-12, 2005. Disponível em

Bueno, B. (1996). Autobiografias e Formação de Professores: um estudo sobre representações de alunas de um curso de magistério. Tese de Livre‐Docência. Facultade de Educação – usp. São Paulo.

Bueno, B. (2006). É possível reinventar os professores? A “escrita de memórias” em um curso especial de formação de professores. Em Souza, E.; Abraão, M. H. Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. (pp.219-238). Porto Alegre: edipucrs.

Bueno, B. (2014). Entre o virtual e o presencial: a formação e a profissionalização dos professores. Em J. T. Lopes; B. P. Melo; M. Ferreira; A. Diogo; E. Gomes. (Orgs.). Entre crise e euforia: práticas e políticas educativas no Brasil e em Portugal. (pp. 237-260). Porto: Universidade do Porto.

Bueno, B. e Oliveira, A. (2008). La educación online en otro registro: usos y apropiaciones de los recursos tecnológicos en la formación de profesores. Universitas Psychologica, 07, 823-836.

Bueno, B., Souza, D. e Bello, I. (2008). Novas tecnologias e letramento: a leitura e a escrita das professoras. Revista Portuguesa de Educação, 42, 45-64.

Certeau, M. de. (1994). A Invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes. Chartier, R. (1990). A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel.

Foucault, M. (1994). Dits et ecrits III: 1976-1979. Paris: Gallimard.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2017). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Brasília: IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/ Acesso em: 23/07/2017

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (2016). Sinopse Estatística da Educação básica, Brasília: Inep. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/eb/guest/sinopses-‐ estaSsScas-‐da-‐
educacao-‐basica. Acesso em: 23/07/2017

Lahire, B. (2001). O homem plural: as molas da acção: Lisboa: Instituto Piaget.

Lahire, B. (2004). Retratos sociológicos. Porto Alegre: Artmed.

Lei 9.394 de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Diário da União. Brasilia.

Rockwell, E. (coord.) (1995). La escuela cotidiana. México D.F: Fondo de Cultura Económica.

Rockwell, E. (2009). La experiencia etnográfica. Buenos Aires: Paidós.

Rockwell, E., e Ezpeleta, J. (1986). A escola: Relato de um processo inacabado deconstrução. Em J. Ezpeleta & E. Rockwell, Pesquisa participante (pp. 9–30). São Paulo: Cortez.

Rockwell, E. e Mercado, R. (1986). La escuela, lugar del trabajo docente. Descripciones y debates. México, D.F: Departamento de Investigaciones Educativas.

Rosso, A., Strey, M., Guareschi, P. e Bueno, S. (2002). Cultura e ideologia: a mídia revelando estereótipos raciais de gênero. Psicologia & Sociedade, 14 (2), 74-94.

Oliveira, A. (2009). Quando o professor se torna aluno: tensões, desafios e potencialidades da formação em serviço. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Oliveira, A. e Bueno, B. (2013). Formação às avessas: problematizando a simetria invertida na formação continuada de professores. Educação e Pesquisa, São Paulo, 39 (4), 875-890.

Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, undime, fde, usp, e pucsp (2003). Pec- Formação Universitária Municípios, Proposta Básica do Programa, 2ª edição. São Paulo: Autor.

Sarti, F. (2005). Leitura professional docente em tempos de universitarização do magistério das series iniciais. São Paulo (Tese de doutorado), Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.

Sarti, F. e Bueno, B. (2007). Leituras profissionais docentes e apropriação de saberes acadêmico-educacionais. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), 37, 455-479.

Souza, D. (2006). Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa, 32 (3), 477-492.

Souza, D. T. e Sarti, F. (2014). Mercado de formação docente: constituição, funcionamento e dispositivos. Belo Horizonte: Fino Traço.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
profesores, programas especiales, educación superior, minorías/ mayorías, Brasil

Article Details